PT pode manter Lula candidato mesmo sem registro

"A gente tem até 15 de agosto para registrar. Vamos fazê-lo. Nenhum candidato, mesmo condenado em última instância, foi impedido de se registrar", avisou a presidente do PT, Gleisi Hoffmann; "Se o TSE avaliar que não pode, o que seria uma brutalidade com o presidente (porque a sentença é injusta e nós estamos com recursos bem fundamentados), nós podemos definir, inclusive, que ele faça a disputa sem o registro"

Gleisi Hoffmann
Gleisi Hoffmann (Foto: Aquiles Lins)

Jornal GGN - A senadora e presidente nacional do PT Gleisi Hoffmann anunciou em coletiva de imprensa, nesta sexta (8), que o partido avalia manter Lula como candidato mesmo que a Justiça Eleitoral coloque entraves à obtenção do registro para participar do pleito deste ano. "Nós podemos definir, inclusive, que ele faça a disputa sem registro. Isso tem acontecido sistematicamente", disse a petista.

Segundo Gleisi, o PT trabalha num levantamento "individualizado, por Estado, de todos os casos na Justiça Eleitoral em que candidatos tiveram problema de registro." Ela vem afirmando que mais de 140 prefeitos foram eleitos na última disputa nessas condições.

A senadora ainda reforçou que o PT não tem plano B e busca um vice para Lula que seja de outro partido. Para ela, não há meio de pacificar o País com o ex-presidente preso na Lava Jato.

Ela ainda minimizou a boa relação que o governador Camilo Santana (PT) tem com o PDT de Ciro Gomes, afastando a hipótese de fechar aliança para apoiar o pedetista na corrida presidencial. Segundo ela, o PT busca preferencialmente alianças com o PSB e vai insistir em levar Lula às urnas, mesmo que o registro venha a ser impugando no Tribunal Superior Eleitoral."

"A gente tem até 15 de agosto para registrar. Vamos fazê-lo. Nenhum candidato, mesmo condenado em última instância, foi impedido de se registrar", reforçou. "Se o TSE avaliar que não pode, o que seria uma brutalidade com o presidente (porque a sentença é injusta e nós estamos com recursos bem fundamentados), nós podemos definir, inclusive, que ele faça a disputa sem o registro."

Gleisi disse que a prioridade do PT é eleger Lula presidente e uma boa bancada de parlamentares no Congresso. Depois disso, reeleger os governadores já em mandato e apostar nos candidatos a governo de Estado que são viáveis.

Deputados e senadores, governadores do PT e a senadora participam na noite desta sexta (8), em Contagem (MG), do lançamento da candidatura de Lula. É aguardada a leitura de uma carta ao povo assinada pelo ex-presidente, que está preso em Curitiba desde o dia 7 de abril.

HADDAD EM ALTA

Gleisi ainda comentou a pesquisa do IPESPE divulgada nesta sexta (8), na qual Fernando Haddad aparece em segundo lugar, com 11% das intenções de voto, quando ele é apresentado ao eleitorado como o candidato de Lula. Sem essa associação, a pesquisa mostrou que Haddad ficaria em sexto lugar, com 3% dos votos.

Gleisi minimizou o resultado da pesquisa lembrando que o estudo foi feito por telefone e, por isso, precisa ser visto com cautela. Além disso, ela destacou que Lula é o preferido, com 30% das intenções de voto e, sem ele, uma fatia ainda maior do eleitorado prefere votar branco e nulo a escolher um candidato.

A senadora ainda informou que o PT entrou com uma ação na Vara de Execuções Penais que cuida da prisão de Lula demandando autorização para que ele participe de entrevistas e gravações de vídeos de olho na eleição. Mesmo que haja rejeição do pedido, Gleisi afirma que o partido está preparado para fazer a campanha sem Lula.

Assista à coletiva: 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247