PT quer antecipar definição sobre alianças para disputa ao governo

Em resposta à articulação da chapa governista, arquitetada pelo governador Eduardo Campos, o senador petista Humberto Costa reagiu: “Logicamente nós não vamos ter uma decisão como foi à do PSB, em que uma única pessoa decida por vários partidos. Um tipo de política que absolutamente de novo não tem nada”, disparou o senador em resposta ao comunicador Geraldo Freire; a aproximação entre PSB e PSDB tem sido motivo de preocupação para o PT 

Em resposta à articulação da chapa governista, arquitetada pelo governador Eduardo Campos, o senador petista Humberto Costa reagiu: “Logicamente nós não vamos ter uma decisão como foi à do PSB, em que uma única pessoa decida por vários partidos. Um tipo de política que absolutamente de novo não tem nada”, disparou o senador em resposta ao comunicador Geraldo Freire; a aproximação entre PSB e PSDB tem sido motivo de preocupação para o PT 
Em resposta à articulação da chapa governista, arquitetada pelo governador Eduardo Campos, o senador petista Humberto Costa reagiu: “Logicamente nós não vamos ter uma decisão como foi à do PSB, em que uma única pessoa decida por vários partidos. Um tipo de política que absolutamente de novo não tem nada”, disparou o senador em resposta ao comunicador Geraldo Freire; a aproximação entre PSB e PSDB tem sido motivo de preocupação para o PT  (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - A primeira “cutucada” oriunda do campo da oposição em relação à composição da chapa governista construída pelo governador Eduardo Campos (PSB), na sucessão estadual, partiu do senador Humberto Costa (PT).

Segundo matéria do Jornal do Commercio, em entrevista nessa sexta-feira à Rádio Jornal, o petista fez questão de enfatizar que o processo de decisão dentro PT não será feito por uma “única pessoa”, como ocorreu, segundo ele, no PSB.

“Logicamente nós não vamos ter uma decisão como foi a do PSB. Uma decisão em que uma única pessoa decida por vários partidos. Um tipo de política que absolutamente de novo não tem nada”, disparou o senador em resposta ao comunicador Geraldo Freire. 

Segundo o JC, o senador Humberto Costa, entretanto, já admite que pode ser apressado o calendário de discussões internas para definir se o PT terá candidatura própria no Estado ou apoiará o senador Armando Monteiro (PTB), como deseja a cúpula petista.

“Acredito que é perfeitamente possível anteciparmos essa definição, que acredito que hoje marcha para o entendimento com o PTB, e o PT participando dessa chapa, possivelmente com a indicação para o Senado. (...) É possível fazer tudo isso democraticamente num período curto de tempo”, disse, frisando que a escolha pela aliança com PTB é uma opinião pessoal sua.

Ele não quis comentar a escolha por Paulo Câmara. “Prefiro não emitir nenhuma opinião sobre o posicionamento dos adversários”, disse. “Queremos dar a Pernambuco uma alternativa de alguém que tenha experiência técnica, que seja capaz de agregar, que tenha experiência política, capacidade de abrir caminhos para recursos, que tenha presença própria e reconhecimento pelo eleitorado”, acrescentou, frisando características como “experiência política” e “reconhecimento do eleitorado” que faltam a Câmara, neófito na política.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email