PT quer plebiscito para decidir se apoia Armando

Com o objetivo de se cacifar como candidato ao governo de Pernambuco, o presidente do PT no Recife, Oscar Barreto, reuniu lideranças da legenda em Pernambuco que defendem candidatura própria para protocolar um plebiscito a fim de definir se o partido lançará postulante ao governo estadual ou se apoiará o senador Armando Monteiro (PTB-PE); o pedido foi protocolado; caso a solicitação não seja aprovada, o partido recorrerá a instâncias superiores da sigla, o que adiará a decisão sobre o rumo os petistas no estado

Com o objetivo de se cacifar como candidato ao governo de Pernambuco, o presidente do PT no Recife, Oscar Barreto, reuniu lideranças da legenda em Pernambuco que defendem candidatura própria para protocolar um plebiscito a fim de definir se o partido lançará postulante ao governo estadual ou se apoiará o senador Armando Monteiro (PTB-PE); o pedido foi protocolado; caso a solicitação não seja aprovada, o partido recorrerá a instâncias superiores da sigla, o que adiará a decisão sobre o rumo os petistas no estado
Com o objetivo de se cacifar como candidato ao governo de Pernambuco, o presidente do PT no Recife, Oscar Barreto, reuniu lideranças da legenda em Pernambuco que defendem candidatura própria para protocolar um plebiscito a fim de definir se o partido lançará postulante ao governo estadual ou se apoiará o senador Armando Monteiro (PTB-PE); o pedido foi protocolado; caso a solicitação não seja aprovada, o partido recorrerá a instâncias superiores da sigla, o que adiará a decisão sobre o rumo os petistas no estado (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - Com o objetivo de se cacifar como candidato ao governo de Pernambuco, o presidente do PT no Recife, Oscar Barreto, reuniu lideranças da legenda em Pernambuco que defendem candidatura própria para protocolar, na sede da sigla, um plebiscito a fim de definir se o partido lançará postulante ao governo estadual ou se apoiará o senador Armando Monteiro (PTB-PE). O pedido foi protocolado na manhã desta segunda-feira (10), e pode ser discutido já durante uma reunião da Executiva estadual do partido, às 18h. Caso a solicitação não seja aprovada, a legenda recorrerá a instâncias superiores, o que adiará a decisão sobre o rumo dos petistas no estado.

O partido quer fazer, ainda, um abaixo-assinado cujas assinaturas dos militantes devem ser recolhidas a partir desta terça-feira (11), para definir o rumo que sigla tomará nesta eleição. Também será intensificada uma campanha, já que a petição, lançada na última sexta-feira (7), angariou apenas 63 apoios até a tarde desta segunda.

Segundo informações de bastidores, após defenderem candidato próprio durante o Processo de Eleição Direta (PED), em novembro do ano passado, algumas lideranças teriam mudado de lado, o que chegou a ser classificado por Barreto como "estelionato político". Atualmente, existem 120 mil petistas filiados em Pernambuco, porém apenas 22,5 mil votaram no PED do partido.

O dirigente, que deixou o cargo de secretário-executivo de Agricultura do governo de Pernambuco na última sexta-feira (7), já colocou o seu nome à disposição da sigla para ser postulante ao governo de Pernambuco. Barreto já havia dito, neste mês, que "desmoralizaria a tradição do partido". "Não vamos entregar o legado do partido para uma aliança que não consegue defender o PT. A aliança com o PTB não consegue acumular a defesa do legado do PT", afirmou, no último dia 20, à Rádio JCNews.

De acordo com os defensores de um nome petista na disputa, uma chapa do PT seria necessária para ajudar na reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) e unificar o partido, que vem sofrendo desgastes desde as eleições municipais de 2012. O Diretório Nacional da sigla, entretanto, ainda prefere uma aliança com o senador Armando Monteiro (PTB).

Entretanto, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a presidente Dilma já disseram preferir uma união, em Pernambuco, do PT com o PTB, partido que apoia nacionalmente a reeleição de Dilma.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email