PT-RS é contra partido participar do processo de eleições indiretas

Em nota, o PT-RS, presidido por Ary Vanazzi (em pé, na foto), diz que a eleição indireta "seria a segunda fase do golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, legitimamente eleita por mais de 54 milhões de brasileiros"; "A direção petista orienta o conjunto dos delegados eleitos na etapa estadual do Congresso para que consolidem, em Brasília, a posição irrevogável e inegociável pelas Diretas Já, de acordo com Resolução aprovada no Congresso estadual, realizado no início de maio em Porto Alegre"

Em nota, o PT-RS, presidido por Ary Vanazzi (em pé, na foto), diz que a eleição indireta "seria a segunda fase do golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, legitimamente eleita por mais de 54 milhões de brasileiros"; "A direção petista orienta o conjunto dos delegados eleitos na etapa estadual do Congresso para que consolidem, em Brasília, a posição irrevogável e inegociável pelas Diretas Já, de acordo com Resolução aprovada no Congresso estadual, realizado no início de maio em Porto Alegre"
Em nota, o PT-RS, presidido por Ary Vanazzi (em pé, na foto), diz que a eleição indireta "seria a segunda fase do golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, legitimamente eleita por mais de 54 milhões de brasileiros"; "A direção petista orienta o conjunto dos delegados eleitos na etapa estadual do Congresso para que consolidem, em Brasília, a posição irrevogável e inegociável pelas Diretas Já, de acordo com Resolução aprovada no Congresso estadual, realizado no início de maio em Porto Alegre" (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 - O PT do Rio Grande do Sul divulgou nota informando sua posição contrária a uma eventual participação do partido no processo de eleição direta para presidente da República. De acordo com o texto, a eleição indireta "seria a segunda fase do golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, legitimamente eleita por mais de 54 milhões de brasileiros".

"Desde o golpe parlamentar/jurídico/midiático dado há um ano, o Brasil e os brasileiros vêm amargando perdas de patrimônio público, credibilidade e direitos. Houve uma verdadeira exterminação das políticas sociais, promovendo a volta da miséria, do desemprego e até da fome. A única forma de superar esta crise a que o País foi jogado após o golpe de 2016 são as eleições diretas para Presidente", diz.

"Neste sentido, a Executiva do PT do Rio Grande do Sul tirou, em reunião hoje (29/05), a determinação de levar ao 6º Congresso Nacional do Partido, dias 2, 3 e 4 de junho, posição contra a participação do PT no colégio eleitoral em eventual eleição indireta, o que seria a segunda fase do golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, legitimamente eleita por mais de 54 milhões de brasileiros", continua.

Ainda segundo a nota, "a direção petista orienta o conjunto dos delegados eleitos na etapa estadual do Congresso para que consolidem, em Brasília, a posição irrevogável e inegociável pelas Diretas Já, de acordo com Resolução aprovada no Congresso estadual, realizado no início de maio em Porto Alegre".

"O PT-RS também vai levar para o Congresso da sigla a posição de revogação do TODAS as medidas do governo golpista, a começar pelas Reformas trabalhistas e da Previdência, que Temer quer passar goela abaixo, e que são mortais para os trabalhadores e trabalhadoras. O PT-RS quer o resgate das raízes que originaram o Partido dos Trabalhadores há 37 anos: de estar ao lado dos trabalhadores, dos menos favorecidos, da ética e da coerência", afirma.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247