PTB quer criar movimento “Dilmar”

O PTB quer unir em Goiás as legendas PSDB e PT visando às eleições em outubro deste ano. A junção intitulada "Dilmar", defendida pelo deputado petebista Talles Barreto, faz referência ao apoio recíproco entre a presidente petista, Dilma Roussef, que disputará a reeleição à Presidência da República, e o governador tucano Marconi Perillo, ao Palácio das Esmeraldas

O PTB quer unir em Goiás as legendas PSDB e PT visando às eleições em outubro deste ano. A junção intitulada "Dilmar", defendida pelo deputado petebista Talles Barreto, faz referência ao apoio recíproco entre a presidente petista, Dilma Roussef, que disputará a reeleição à Presidência da República, e o governador tucano Marconi Perillo, ao Palácio das Esmeraldas
O PTB quer unir em Goiás as legendas PSDB e PT visando às eleições em outubro deste ano. A junção intitulada "Dilmar", defendida pelo deputado petebista Talles Barreto, faz referência ao apoio recíproco entre a presidente petista, Dilma Roussef, que disputará a reeleição à Presidência da República, e o governador tucano Marconi Perillo, ao Palácio das Esmeraldas (Foto: Voney Malta)

Renato Dias/http://www.dm.com.br – O deputado estadual Talles Barreto informa com exclusividade ao Diário da Manhã que o PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) criará, em Goiás, o movimento "Dilmar" para as eleições de outubro de 2014. É a petista Dilma Rousseff à Presidência da República e o tucano Marconi Perillo ao Palácio das Esmeraldas.

O parlamentar relata que não há no Estado, um "Plano B". O gestor Marconi Perillo irá recuperar o espaço supostamente perdido com a crise política de 2012, observa. O volume de obras executado nos 246 municípios de Goiás irá reverter o desgaste e ele será reeleito, aposta, animado o dirigente trabalhista.

CPIs

Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Grampos e relator da CPI do Caso Carlinhos Cachoeira, ele lembra que a composição da chapa majoritária da base aliada deve ficar para junho, durante as convenções oficiais. Existem três opções com densidade eleitoral para a vice: José Eliton (PP), Jovair Arantes (PTB) e José Gomes (PTB).

Pragmático, Talles Barreto acena ao Democratas. Ele é oriundo do extinto Partido da Frente Liberal (PFL). "Ronaldo Caiado esteve conosco em 1998, 2002 e 2010, é depositário da ética, exerce um mandato de fiscalização e combativo e nunca se envolveu em escândalos de qualquer natureza. O DEM precisa fazer parte da coalizão em 2014", insiste.

Com um exército institucional, hoje, que mobiliza um deputado federal, quatro deputados estaduais, 18 prefeitos municipais, 14 vices, 170 vereadores e diretórios e comissões provisórias instaladas nas 246 cidades de Goiás, ele afirma ao Diário da Manhã que a estratégia da sigla é fazer, em outubro, dois federais e seis estaduais.

PT saudações

Com livre trânsito em Brasília (DF), capital da república hegemonizada pelos petistas, Talles Barreto afirma que o PTB continuará na base do Palácio do Planalto. Leia-se: Dilma Rousseff.  Ele analisa que a presidenta da República adotou postura republicana e não discriminou governos estaduais administrados pelas oposições ao petismo.

"Goiás recebeu R$ 9,2 bilhões de empréstimos e recursos federais", afirma. Talles Barreto lembra, porém, que a Casa Verde fez o seu dever de casa: equilibrou as contas públicas e cumpriu as metas fiscais, o que possibilitou a celebração de contratos de empréstimos com a União. "Os investimentos podem ser vistos em Goiânia nas saídas para o Garavelo, para Inhumas, para Bela Vista, na região noroeste da Capital."

Economia

O líder trabalhista relata que de 1999 a 2014, Marconi Perillo teria mudado o perfil econômico do Estado. "Com a atração de empresas, houve uma expansão do setor industrial, a multiplicação da participação da área de serviços e a elevação brusca do Produto Interno Bruto (PIB – soma de todas as riquezas produzidas em Goiás)", avalia ao Diário da Manhã.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247