Quando sua casa vale ouro, assim como seu inglês, espanhol, italiano...

Copa oferece oportunidades de bons negcios para alugar imvel por temporada, mas tambm para hospedar turistas. Mimos e comodidades podem tornar o preo ainda mais competitivo

Quando sua casa vale ouro, assim como seu inglês, espanhol, italiano...
Quando sua casa vale ouro, assim como seu inglês, espanhol, italiano... (Foto: Shutterstock)

Luciane Macedo _247 - Em meio às polêmicas e expectativas que cercam a Copa do Mundo de 2014, quem quer fazer bons negócios alugando um imóvel ou hospedando turistas em casa já começou a se organizar nas redes sociais, fóruns e sites de viagem e de classificados. As diárias oferecidas giram em torno de R$ 1.000,00, mas também há pacotes de um mês por R$ 40 mil e de uma semana por bem mais, a R$ 3.500,00 por dia. Os imóveis mais valorizados estão perto dos estádios e aeroportos das 12 cidades-sede, principalmente no Rio de Janeiro, que abre a Copa. Na cidade maravilhosa, onde muitos moradores já estão acostumados a desocupar seus imóveis no Réveillon e Carnaval, apartamentos alugados por R$ 1.500,00 por dia nos feriados de maior procura já são disputados para a Copa por quase o dobro desse valor.

Embora os imóveis alugados por temporada sirvam para ampliar as vagas disponíveis na rede hoteleira durante a Copa, fechar um negócio com tanta antecedência pode significar preços defasados. Além disso, existe a possibilidade de haver vagas demais em algumas das cidades-sede.

As melhores oportunidades, onde o risco de haver superoferta na rede hoteleira é baixo, estão no Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre e Fortaleza, segundo estudo de projeção da taxa de ocupação para a Copa realizado pelo Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB) em parceria com a consultoria Hotel Invest. Ainda de acordo com o levantamento do FOHB, em Natal e Recife, o risco de sobrar vagas é moderado. Já em Brasília, Belo Horizonte, Salvador, Manaus e Cuiabá, pode haver vagas demais para procura de menos, indicam as projeções.

"O turista da Copa vai ver um jogo ou outro e vai aproveitar para fazer turismo, vai ter pessoas viajando e passeando entre um jogo e outro", diz Janine Pires, presidente do Conselho de Turismo e Negócios da Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo). "A questão do Brasil é como adequar preço alto com qualidade de serviço".

Para quem vai alugar por temporada ou hospedar turistas em casa pela primeira vez, pesquisar os preços na rede hoteleira tendo em mente as indicações do FOHB pode ser um bom ponto de partida. É bom lembrar que as diárias dos hotéis sofrem reajustes semestrais. Os preços devem aumentar 50% em 2012, segundo projeções da Fecomercio-SP.

"Saber quanto um hotel perto do imóvel que vai ser alugado está cobrando é um bom parâmetro para precificar um aluguel de temporada para a Copa", indica Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP (Sindicato da Habitação). "E muito embora a locação ofereça menos serviços que um hotel, a expectativa é de que os hotéis estejam superlotados em algumas cidades, então a lei da oferta e da procura é que vai valer, provavelmente o preço de uma locação sairá mais caro que uma diária de hotel na mesma região", assinala o especialista. "R$ 1.000,00 por dia é um número palatável no nosso mercado de aluguel de temporada na praia, mas não é muito para um evento do porte da Copa do Mundo".

De acordo com o especialista do Secovi-SP, quem vai alugar por temporada pode optar por cobrar apenas um sinal ou 100% do valor do aluguel antes da locação. Os mesmos cuidados que valem para o turista nacional também valem para o estrangeiro. Mas como não dá para pedir cheque-caução a um americano, quem quiser se prevenir contra eventuais danos ao imóvel pode pedir uma quantia em dinheiro, que será devolvida depois.

"Um contrato escrito dá uma tranquilidade para ambas as partes. E como estamos falando em fazer tudo via internet, envia-se um modelo por email para documentar o local do imóvel que está sendo alugado, para quem, por quanto tempo e qual o preço combinado", orienta Bushatsky. "Também é bom colocar o nome do administrador do imóvel ou de outro contato, a pessoa a quem o locatário deve procurar caso haja qualquer problema".

Estrutura do imóvel (acomodações, área de lazer, piscina, academia, lavanderia e outros eventuais serviços disponíveis), localização (proximidade de estádios, aeroportos, supermercados e outros pontos de interesse, turísticos e de compras) e disponibilidade de transporte público são alguns dos fatores a considerar para quem quer fechar bons negócios alugando ou hospedando durante a Copa. O anúncio também deve ser o mais completo possível, com todas essas indicações, em inglês e português, além de fotos.

"É bom lembrar que o europeu e o americano terão um mínimo de expectativa", diz Bushatsky. "O melhor é poder oferecer uma estrutura a mais parecida possível com a de hotéis, porque é isso que o americano médio espera encontrar", ressalta. "Estrutura de flat é normal em prédios nos Estados Unidos em qualquer cidade, eles estão acostumados".

Muitos brasileiros que já estão anunciando na internet também se oferecem para hospedar em casa e ser guias turísticos dos hóspedes estrangeiros, o que pode ser um bom diferencial. "Ciceronear os turistas é um negócio interessante, abre-se demais esse tipo de oportunidade com a Copa", comenta o especialista do Secovi-SP. "Aí não é locação, é hospedagem, dá para oferecer café da manhã e o preço pode competir melhor com o de hotéis", assinala. "Você está ali disponível o tempo todo, dá mais segurança ao turista, e quem fala outras línguas além do inglês, como italiano ou alemão, está mais valorizado, porque pode atender um público diferenciado".

Clique nas imagens para ampliá-las.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247