Quase presidiário, Aécio finge que ainda tem algo a dizer na política

Senador afastado, que já entregou seu passaporte ao Supremo Tribunal Federal e foi notificado do pedido de prisão contra ele pela PGR no âmbito da Lava Jato, escreve no Facebook "sobre a necessidade das reformas no país e o clima de intransigência"

Aécio Neves 
Aécio Neves  (Foto: Gisele Federicce)

247 - Afastado do cargo e sem passaporte, o senador tucano Aécio Neves finge que nada aconteceu e acredita que ainda tem algo a dizer na política brasileira.

No mesmo dia em que entregou seu passaporte ao Supremo Tribunal Federal e foi notificado do pedido de prisão contra ele pela PGR no âmbito da Lava Jato, sobre o qual tem 15 dias para se manifestar, Aécio escreve no Facebook "sobre a necessidade das reformas no país e o clima de intransigência".

"Têm sido dias difíceis para o Brasil", começa seu post, ignorando seu próprio caso. Principal articulador do golpe que tirou a presidente eleita Dilma Rousseff do poder e causou a maior recessão da história, o ainda parlamentar também fala sobre "as dificuldades geradas pela recessão em que os últimos governos nos meteram".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247