‘Quem arranca faixas nas universidades reconhece o fascismo de Bolsonaro’

"Nosso total repúdio à censura e perseguição nas Universidades Públicas. Faixas antifascistas não são campanha eleitoral, mas defesa da democracia. Quem arranca essas faixas faz uma confissão de culpa e reconhece por via tortas o discurso fascista de Bolsonaro", afirma o deputado Ivan Valente (Psol-SP)

‘Quem arranca faixas nas universidades reconhece o fascismo de Bolsonaro’
‘Quem arranca faixas nas universidades reconhece o fascismo de Bolsonaro’ (Foto: Alex Ferreira - Câmara)

SP 247 - O deputado federal reeleito Ivan Valente (Psol-SP) criticou as operações em universidades públicas por suposta propaganda eleitoral.

"Nosso total repúdio à censura e perseguição nas Universidades Públicas. Faixas antifascistas não são campanha eleitoral, mas defesa da democracia. Quem arranca essas faixas faz uma confissão de culpa e reconhece por via tortas o discurso fascista de Bolsonaro", escreveu o parlamentar no Twitter.

Na manhã desta quinta-feira (25), policiais federais armados adentraram Associação Docente da Universidade Federal de Campina Grande (ADUFCG) obedecendo a um mandado de busca e apreensão, expedido pelo juiz eleitoral Horácio Ferreira de Melo Junior, para recolher o "Manifesto em Defesa da Democracia e da Universidade Pública", assinado pela entidade sindical e aprovado pela categoria em Assembleia. Eles também levaram o HD do computador da assessoria de imprensa do sindicato docente.

Ainda na Paraíba, homens, que se apresentaram como membros do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), estiveram na quarta-feira (24) na Universidade Estadual da Paraíba para interrogar uma professora.

Em outro episódio, na terça-feira (23), policiais invadiram a Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, para remover uma bandeira antifascista, que não continha qualquer menção à nenhum dos candidatos. A Universidade Federal de São João Del Rei (MG) recebeu também nesta quarta-feira um Mandado de Notificação que ordena a retirada do ar da Nota da Universidade Federal de São João del-Rei a favor dos princípios democráticos e contra a violência nas eleições presidenciais de 2018, assinada pela Reitoria da instituição. Eles têm 48h para retirar o conteúdo do ar.

Enquanto dava uma aula sobre fake news, na disciplina de Mídias Sociais, do curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual do Pará (UEPA), o professor Mário Brasil teve sua aula invadida pela Polícia Militar.

*Com Brasil de Fato

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247