Racionamento de água começa em Maio

O governo de Minas anunciou na última terça (9), após reunião com a força-tarefa que cuida da questão hídrica do estado, que começará com a política de racionamento; A situação da crise hídrica no estado, escondida pela gestão anterior, vem sendo tratada com prioridade e urgência pelo Governo de Fernando Pimentel (PT), que começou em janeiro

O governo de Minas anunciou na última terça (9), após reunião com a força-tarefa que cuida da questão hídrica do estado, que começará com a política de racionamento; A situação da crise hídrica no estado, escondida pela gestão anterior, vem sendo tratada com prioridade e urgência pelo Governo de Fernando Pimentel (PT), que começou em janeiro
O governo de Minas anunciou na última terça (9), após reunião com a força-tarefa que cuida da questão hídrica do estado, que começará com a política de racionamento; A situação da crise hídrica no estado, escondida pela gestão anterior, vem sendo tratada com prioridade e urgência pelo Governo de Fernando Pimentel (PT), que começou em janeiro (Foto: Luis Mauro Queiroz)

Pautando Minas - O racionamento de água e a sobretaxa para quem consumir acima da média de 2014 começarão a valer em maio, na região Metropolitana de Belo Horizonte. O Governo estadual anunciou as medidas ontem (9), após reunião da força tarefa que cuida da questão, em que foi declarada situação de escassez hídrica na grande BH. A decisão se dá em razão dos baixos níveis de chuva registrado neste verão, apesar das chuvas acima da média em fevereiro, que não foram suficientes para recuperar os mananciais que fornecem água para a capital, sobretudo o Rio Manso.

Entre as medidas anunciadas pela Copasa, estão multa pata quem desperdiçar, rodízio de fornecimento e racionamento. O objetivo é economizar até 30% dos gastos normais, a fim de preservar o nível dos reservatórios. O sistema Paraopeba, por exemplo, que no ano passado operava com mais de 70% de sua capacidade, este ano está em 33,6%. A situação ainda não é grave como a de São Paulo, em que as reservas chegaram a 5% e, agora, após as chuvas de fevereiro, estão pouco acima dos 10%.

O sistema que se encontra em situação mais crítica é o de Serro Azul, em Juatuba, região Metropolitana, cujos níveis estão em 9,6% do volume total, mas chegaram a bater nos mesmos 5% registrados em São Paulo, no Cantareira. A situação da crise hídrica no estado, escondida pela gestão anterior, vem sendo tratada com prioridade e urgência pelo Governo de Fernando Pimentel (PT), que começou em janeiro.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247