Raul Henry critica gestão em rede social

Aproveitando a polmica em torno da rejeio das contas do prefeito do Recife, Joo da Costa (PT), o deputado peemedebista criticou o suposto no cumprimento do percentual de 25% em investimento na rea educao

Raul Henry critica gestão em rede social
Raul Henry critica gestão em rede social (Foto: Leonardo Prado/SEFOT-SECOM)

Beatriz Braga _PE247 - Na esteira da polêmica do pedido de rejeição da primeira prestação de contas do prefeito do Recife, João da Costa (PT), pelo o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Carlos Porto, o deputado federal Raul Henry (PSDB) não esperou muito tempo para deixar registrado sua posição sobre o caso, cutucando a atual gestão em sua página do Facebook.

“Cada dia mais, aumenta a compreensão da população de que o principal instrumento para a transformação da sociedade é a educação. Sem ela, é impossível reduzir a desigualdade de oportunidades. Sem ela, é impossível qualificar nossa juventude para os novos postos de trabalho que estão sendo oferecidos pelo mercado. Sem ela, é impossível reduzir a violência e melhorar indicadores de saúde. Mesmo diante dessas alarmantes evidências, a PCR sequer investiu em educação o que é sua obrigação constitucional, os 25% do orçamento municipal”, bateu Raul Henry.

Na sequência, o peemedebista escreveu que “dessa forma, fica muito difícil construir um futuro melhor para a nossa cidade”.

A provocação diz respeito à prerrogativa de Carlos Porto de que a PCR não cumpre, desde 2004, com a lei que obriga o município destinar, pelo menos, 25% de seu orçamento aos gastos com educação.

Do outro lado, no entanto, a cúpula petista se mostra tranquila, pelo menos a exemplo do senador Humberto Costa, que, em entrevista de à Rádio FM, disse não haver muito que se preocupar e que a posição do relator seria mera “diferença de interpretação”.

Costa criticou a decisão de Carlos Porto em não aceitar os gastos com fardamentos, merendas, livros, monitores e dívidas da gestão anterior como inerentes ao pacote previsto dentro dos 25% e afirmou, ainda, que a linha considerada pela PCR é a mesma de outros Estados.

O pedido de rejeição de Carlos Porto esbarrou no pedido de vistas dos outros dois conselheiros, João Campos e Romário Dias e, agora, o parecer deverá retornar à pauta no próximo dia 15.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247