Rebelião de presos deixa um morto no Vale do Aço

Detentos do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Ipatinga, no Vale do Rio Doce, iniciaram uma rebelião na madrugada desta segunda-feira (19); um detento morreu e oito ficaram feridos. Segundo a Polícia Militar (PM), a revolta é motivada pela superlotação da unidade; os detentos colocaram fogo em colchões

Detentos do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Ipatinga, no Vale do Rio Doce, iniciaram uma rebelião na madrugada desta segunda-feira (19); um detento morreu e oito ficaram feridos. Segundo a Polícia Militar (PM), a revolta é motivada pela superlotação da unidade; os detentos colocaram fogo em colchões
Detentos do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Ipatinga, no Vale do Rio Doce, iniciaram uma rebelião na madrugada desta segunda-feira (19); um detento morreu e oito ficaram feridos. Segundo a Polícia Militar (PM), a revolta é motivada pela superlotação da unidade; os detentos colocaram fogo em colchões (Foto: Felipe L. Goncalves)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - Detentos do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Ipatinga, no Vale do Rio Doce, iniciaram uma rebelião na madrugada desta segunda-feira (19). Um detento morreu e oito ficaram feridos. Segundo a Polícia Militar (PM), a revolta é motivada pela superlotação da unidade. Os detentos colocaram fogo em colchões.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) informou que "os detentos iniciaram a rebelião quebrando aleatoriamente as celas na tentativa de efetuar uma fuga em massa". "Presos de outras galerias aderiram ao movimento e começaram a quebrar as paredes. O detento Eduardo Henrique de Souza foi encontrado morto. A perícia da Polícia Civil já foi realizada para apurar a causa da morte", diz a nota.

Os feridos foram levados para unidades de Pronto Atendimento da região. Além dos agentes penitenciários, homens do Grupamento de Intervenção Rápida (GIR) e do Comando de Operações Espaciais (Cope) atuaram na unidade prisional. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email