Recife tem a maior chuva dos últimos dez anos

Cidade acordou, literalmente, debaixo d’água; Prefeitura registrou que, apenas entre 4h e 8h, o volume das chuvas que caíram na capital pernambucana foi de 123 milímetros, sendo 81 milímetros apenas nas três primeiras horas; quantidade, prevista para cair ao longo de 12 dias, foi considerada a maior precipitação registrada nos últimos dez anos; manhã registrou 23 solicitações para a Defesa Civil; alagamentos, queda de árvores e sinais quebrados foram as queixas mais comuns

Cidade acordou, literalmente, debaixo d’água; Prefeitura registrou que, apenas entre 4h e 8h, o volume das chuvas que caíram na capital pernambucana foi de 123 milímetros, sendo 81 milímetros apenas nas três primeiras horas; quantidade, prevista para cair ao longo de 12 dias, foi considerada a maior precipitação registrada nos últimos dez anos; manhã registrou 23 solicitações para a Defesa Civil; alagamentos, queda de árvores e sinais quebrados foram as queixas mais comuns
Cidade acordou, literalmente, debaixo d’água; Prefeitura registrou que, apenas entre 4h e 8h, o volume das chuvas que caíram na capital pernambucana foi de 123 milímetros, sendo 81 milímetros apenas nas três primeiras horas; quantidade, prevista para cair ao longo de 12 dias, foi considerada a maior precipitação registrada nos últimos dez anos; manhã registrou 23 solicitações para a Defesa Civil; alagamentos, queda de árvores e sinais quebrados foram as queixas mais comuns (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - O Recife acordou, literalmente, debaixo d’água nesta terça-feira (21). A Prefeitura de Recife (PCR) registrou que, apenas entre as 4h e as 8h da manhã desta terça-feira (22), o volume das chuvas que caíram na capital pernambucana foi de 123 milímetros, sendo 81 milímetros apenas nas três primeiras horas. O aguaceiro, previsto para cair ao longo de 12 dias na cidade, foi considerado como a maior precipitação registrada nos últimos dez anos.

Desde as 5h da manhã, a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) já havia notificado a Defesa Civil do Recife com relação à força das chuvas. Durante toda a manhã foram registrados 23 solicitações para a Defesa Civil, mas nenhum caso foi considerado como grave. Alagamentos, queda de árvores e sinais quebrados na cidade foram as queixas mais comuns.

Em janeiro, a PCR já havia iniciado a Operação Inverno, para prevenir a cidade contra prejuízos causados pela chuva. Atualmente, o Recife possui 16 mil pontos de risco e 2,6 mil pontos considerados de alto risco. Até o último balanço divulgado pela PCR, na quinta-feira (17), já haviam sido realizadas cerca de 20 mil vistorias na cidade, com proteção de 4.447 pontos.

Os prejuízos causados no trânsito também estão sendo monitorados pela Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU). De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, o prefeito Geraldo Julio (PSB) está na cidade, e acompanha o monitoramento do clima desde a madrugada.

O socialista foi duramente criticado em 2013, quando viajou para o Rio de Janeiro no dia 17 de maio, dia em que a cidade registrou uma de suas chuvas mais intensas do ano. Na época, o gestor embarcou durante o período em que a chuva foi mais intensa na cidade, e esteve fora durante a coletiva de imprensa convocada sobre o assunto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247