Refinaria e trabalhadores seguem sem acordo

Última reunião entre as duas partes não fecharam questão sobre o desconto salarial, balizado pela Justiça, pelos 11 dias de paralisação dos operários; o ponto ainda segue como grande entrave nas negociações

Refinaria e trabalhadores seguem sem acordo
Refinaria e trabalhadores seguem sem acordo (Foto: Andréa Rêgo Barros/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Leonardo Lucena _PE247 – Sem maiores avanços. Foi assim que terminou a última reunião – realizada ontem (13) - entre representantes do Sintepav-PE (Sindicato Nacional das Indústrias de Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem), Sinicon-PE (Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada) e das empreiteiras responsáveis pelas obras da Refinaria Abreu e Lima. Segundo o presidente do Sintepav-PE, Aldo Amaral, houve negociação apenas quanto ao pagamento da primeira quinzena deste mês.

“A reunião não apresentou avanços. Estamos alertando para que não haja atraso no pagamento referente à primeira quinzena de agosto. Quanto à questão dos abonos salariais, não tivemos negociação alguma”, afirmou Amaral.

Conforme decisão da Justiça, haverá desconto salarial pelos 11 dias de paralisação no empreendimento realizada pelos operários. Mas o dirigente do sindicato já informou que os trabalhadores só retornarão às atividades quando esse impasse estiver resolvido. Nesta terça-feira (14), ocorrerá uma nova reunião, às 15h, ainda sem local definido, para a retomada das negociações.

O Sintepav passou a orientar, na manhã de ontem, que os funcionários distribuíssem panfletos recomendando os trabalhadores a baterem o ponto e, depois, irem para suas casas.

Leia mais:

Sinicon cobra retorno ao trabalho na Refinaria

Após mais um dia de paralisação dos trabalhos nas obras da Refinaria Abreu e Lima e do Polo Petroquímico, em Suape, o Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada e Infraestrutura (Sinicon) se manifestou por um “desfecho pacífico” da situação. Por meio de nota, a entidade destacou que se faz necessário o retorno dos operários ao canteiro. No entanto, apesar de terem chegado a um acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem (Sintepav-PE) para reajustes no salário e no vale alimentação, o desconto nos dias de paralização continuam sendo um entrave.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email