'Reforma' de Wagner visa fortalecer nome para 2014

Entre os possíveis candidatos da base à sucessão do governador estão os petistas José Sérgio Gabrielli, o senador Walter Pinheiro e o chefe da Casa Civil, Rui Costa; mas há um longo caminho à frente; além de costurar o candidato do PT, Wagner terá de equacionar a disputa com os aliados; estão no páreo o presidente da Assembleia, deputado Marcelo Nilo, do PDT; e o vice-governador Otto Alencar, do PSD

'Reforma' de Wagner visa fortalecer nome para 2014
'Reforma' de Wagner visa fortalecer nome para 2014 (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247

Apesar de o governador Jaques Wagner (PT) deixar claro que não gosta da referência 'reforma' às mudanças que fará no seu time de secretários, a movimentação já ganha destaque nacional. Abaixo duas notas publicadas na coluna Painel, da Folha.

Vaivém 1 - Depois da viagem à China, que inicia hoje, Jaques Wagner (PT-BA) fará minirreforma no primeiro escalão. O governador quer adensar seu núcleo político para a reta final de mandato.

Vaivém 2 - O ex-ministro do Desenvolvimento Agrário Afonso Florence é cotado para a Secretaria de Relações Institucionais (Serin). Coordenadora da campanha de Dilma no Nordeste, a ex-prefeita de Lauro de Freitas Moema Gramacho também deverá ocupar uma pasta.

Além da Serin, as especulações dão conta de que haverá mudanças na Secretaria de Assuntos da Copa (Secopa), hoje a cargo de Ney Campello; na do Meio Ambiente (Sema), de Eugênio Spengler; na de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), atualmente sob gestão de Maria Moraes de Carvalho Mota (secretária em exercício) e para onde deverá ir Moema Gramacho; e na pasta do Desenvolvimento Urbano (Sedur), cujo secretário é Cícero Monteiro.

Há quem diga que o governador quer fortalecer a gestão para sua sucessão em 2014. Entre os possíveis candidatos da base, estão os petistas José Sérgio Gabrielli, o senador Walter Pinheiro e o chefe da Casa Civil, Rui Costa.

Além de costurar o candidato no PT, Wagner terá de equacionar a disputa de 2014 ainda com os aliados. Na última quinta-feira o presidente nacional do PDT, ex-ministro Carlos Lupi, lançou como candidato o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo.

E na seara das especulações, é dado como certo também o nome do vice-governador e presidente do PSD na Bahia, Otto Alencar. Ele nega a pretensão apesar de seu líder nacional, o ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, lhe colocar como pré-candidato.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email