Região das Matas de Minas tem os melhores cafés do estado

“O nosso café só vai ter mercado se tiver qualidade. Esse trabalho que a Emater-MG vem fazendo com os agricultores familiares tem um impacto enorme na cafeicultura mineira. O dia a dia da Emater-MG com o agricultor para melhorar o seu sistema de produção tem garantido mercado e renda para eles”, disse o presidente da Emater-MG, Amarildo Kalil

“O nosso café só vai ter mercado se tiver qualidade. Esse trabalho que a Emater-MG vem fazendo com os agricultores familiares tem um impacto enorme na cafeicultura mineira. O dia a dia da Emater-MG com o agricultor para melhorar o seu sistema de produção tem garantido mercado e renda para eles”, disse o presidente da Emater-MG, Amarildo Kalil
“O nosso café só vai ter mercado se tiver qualidade. Esse trabalho que a Emater-MG vem fazendo com os agricultores familiares tem um impacto enorme na cafeicultura mineira. O dia a dia da Emater-MG com o agricultor para melhorar o seu sistema de produção tem garantido mercado e renda para eles”, disse o presidente da Emater-MG, Amarildo Kalil (Foto: Luis Mauro Queiroz)

Agência Minas - Os cafés produzidos na região cafeeira conhecida como Matas de Minas foram os vencedores do 12º Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais. Os produtores João da Silva Neto e Clayton Monteiro receberam as maiores pontuações entre os finalistas das duas categorias concorrentes deste ano: Café Cereja Descascado e Café Natural. A cerimônia de premiação aconteceu nesta quinta-feira, 26, em Manhuaçu, na Zona da Mata mineira. Participaram do evento o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, João Cruz, e o presidente da Emater-MG, Amarildo Kalil.

João da Silva é do município de Araponga. O café produzido por ele foi campeão estadual na categoria Cereja Descascado. “Esse prêmio é a coroação de um trabalho de seis anos que a gente tem feito, buscando sempre bons resultados”, disse o cafeicultor. A propriedade dele produz 500 sacas por ano. O produto é vendido para a região e também Itália e Japão. João da Silva também recebeu a medalha Sustentabilidade. Uma homenagem ao cafeicultor com o melhor café produzido seguindo os princípios sustentáveis.

Já o produtor Clayton Monteiro foi o vencedor estadual na categoria Café Natural. Esta é a segunda vez que ele vence o concurso. A primeira foi em 2012. “A nossa visibilidade aumenta bastante com as premiações. E isso resulta em um preço melhor para o nosso produto. É importante também os dois vencedores serem aqui da região, que antigamente era tida como café de qualidade inferior. Hoje, estamos provando que podemos fazer os melhores cafés”, afirma Monteiro.

A propriedade de Clayton fica no Alto Caparaó. Por ano a propriedade dele produz em média 350 sacas de café. O produtor cultiva variedades, como Catuaí e Burbon. A produção é vendida na região e para cafeterias de outros Estados. Mas boa parte é exportada para Inglaterra, Alemanha, França, Austrália e Japão. Clayton também venceu outros prêmios, como o Coffee of the Year, em 2015, sendo reconhecido como o melhor café do Brasil.

Programa Certifica Minas

Os dois vencedores recebem orientação técnica da Emater-MG e participam do Certifica Minas Café. O programa estadual é coordenado pela Emater-MG e orienta os produtores para a adequação das propriedades às boas práticas agrícolas em todos os estágios da produção, atendendo também normas ambientais e trabalhistas reconhecidas internacionalmente. “Foi esse trabalho que me deu foco para a sustentabilidade. Nos deu padrão para o nosso trabalho para obtermos um produto de mais qualidade”, diz João da Silva.

O Concurso Estadual de Qualidade do Cafés de Minas Gerais também escolheu os três melhores cafés em cada uma das quatro regiões cafeeiras, nas categorias Natural e Cereja Descascado. Os vencedores receberam certificados e prêmios.

“O nosso café só vai ter mercado se tiver qualidade. Esse trabalho que a Emater-MG vem fazendo com os agricultores familiares tem um impacto enorme na cafeicultura mineira. O dia a dia da Emater-MG com o agricultor para melhorar o seu sistema de produção tem garantido mercado e renda para eles”, disse o presidente da Emater-MG, Amarildo Kalil.

Etapas do concurso

A edição deste ano do Concurso Estadual de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais teve 1.300 amostras inscritas. Um crescimento de 26% em relação a 2014, que contou com 1.025 amostras. Participaram da disputa produtores das quatro regiões cafeeiras do Estado: Cerrado, Chapadas de Minas, Matas de Minas e Sul de Minas.

Do total das inscrições deste ano, 1.014 são amostras da categoria Natural e 286 da categoria Cereja Descascado. A região do Cerrado inscreveu 126 amostras, 28 são da Chapada, 554 das Matas de Minas e 592 do Sul de Minas.

Os cafés foram avaliados em três etapas. Na primeira, foram feitas análises física e sensorial. Na avaliação física, foram observados o tipo dos grãos, a umidade e a coloração. Na sensorial foi feita a classificação das amostras de acordo com as qualidades da bebida pronta (classificação quanto ao sabor e aroma). Na segunda etapa, houve mais uma análise sensorial. Na terceira e última fase, foram realizadas novamente as análises física e sensorial.

Leilão Virtual

Entre os dias 10 e 20 de novembro aconteceu um leilão virtual, no site da Faepe, com quatro lotes, sem identificação, dos vencedores do Concurso de Qualidade dos Café de Minas. Cada lote é formado por 10 sacas de 60Kg. O maior lance foi de R$ 2.970,00 a saca. Os cafés leiloados receberam nota acima de 84 pontos, de acordo com a tabela de classificação da Associação Brasileira de Cafés Especiais. As empresas que adquiriram os lotes são: Hotel Parque do Caparaó, Academia do Café, Luca Cafés Especiais, Ateliê do Café, Tudo da Roça e Sindicafé de Minas Gerais.

“Este ano o concurso foi diferenciado dos outros. Nós passamos por um período de dois anos de seca e isso prejudicou muito. Mesmo assim conseguimos achar cafés com qualidade excepcional”, diz o gerente regional da Emater-MG em Lavras e coordenador do concurso, Marcos Fabri.

O concurso é realizado pelo Governo de Minas Gerais. A coordenação é da Emater-MG, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), o Instituto Federal do Sul de Minas/Campus Machado e Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Faepe) e Secretaria de Estado de Agricultura.

A realização do concurso também conta com o apoio de diversas instituições como o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Organização das Cooperativas de Minas Gerais (Ocemg), Federação de Agricultura (Faemg), Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaemg), e cooperativas de café do Sul do Estado. Mais informações sobre o concurso pelo telefone (35) 3821-0020, pelo e-mail [email protected] ou no site da www.emater.mg.gov.br.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247