Região de Campinas já prevê racionamento

Órgãos reguladores estadual e federal determinaram que empresas de saneamento, indústrias, agricultores e pecuaristas reduzam a captação de água na bacia do rio Camanducaia, região de Campinas, devido à baixa vazão: apenas 1.320 litros por segundo de água passavam pelo rio, quando o normal é mais de 2.000 litros por segundo

Órgãos reguladores estadual e federal determinaram que empresas de saneamento, indústrias, agricultores e pecuaristas reduzam a captação de água na bacia do rio Camanducaia, região de Campinas, devido à baixa vazão: apenas 1.320 litros por segundo de água passavam pelo rio, quando o normal é mais de 2.000 litros por segundo
Órgãos reguladores estadual e federal determinaram que empresas de saneamento, indústrias, agricultores e pecuaristas reduzam a captação de água na bacia do rio Camanducaia, região de Campinas, devido à baixa vazão: apenas 1.320 litros por segundo de água passavam pelo rio, quando o normal é mais de 2.000 litros por segundo (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Órgãos reguladores estadual e federal determinaram que empresas de saneamento, indústrias, agricultores e pecuaristas reduzam a captação de água na bacia do rio Camanducaia, região de Campinas.

O motivo é a baixa vazão: apenas 1.320 litros por segundo de água passavam pelo rio, quando o normal é mais de 2.000 litros por segundo, de acordo com reportagem da 'Folha de S. Paulo' (leia aqui).

Diante do cenário, municípios como Amparo e Monte Alegre do Sul já preveem racionamento se a situação de escassez se agravar.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email