Regina assume presidência da CDH do Senado

A senadora Regina Sousa (PT-PI) vai assumir nesta terça-feira (14) a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH); ela diz que vai lutar pelo fim da cultura do ódio e que vai atuar dando visibilidade aos segmentos sociais marginalizados como negros, indígenas, LGBTs, a população de rua que é tratada como "invisível"; dos dez senadores petistas com mandato, quatro são mulheres; além de Regina Sousa, Fátima Bezerra (PT-RN) vai comandar a Comissão Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) foi escolhida líder do PT no Senado

A senadora Regina Sousa (PT-PI) vai assumir nesta terça-feira (14) a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH); ela diz que vai lutar pelo fim da cultura do ódio e que vai atuar dando visibilidade aos segmentos sociais marginalizados como negros, indígenas, LGBTs, a população de rua que é tratada como "invisível"; dos dez senadores petistas com mandato, quatro são mulheres; além de Regina Sousa, Fátima Bezerra (PT-RN) vai comandar a Comissão Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) foi escolhida líder do PT no Senado
A senadora Regina Sousa (PT-PI) vai assumir nesta terça-feira (14) a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH); ela diz que vai lutar pelo fim da cultura do ódio e que vai atuar dando visibilidade aos segmentos sociais marginalizados como negros, indígenas, LGBTs, a população de rua que é tratada como "invisível"; dos dez senadores petistas com mandato, quatro são mulheres; além de Regina Sousa, Fátima Bezerra (PT-RN) vai comandar a Comissão Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) foi escolhida líder do PT no Senado (Foto: Voney Malta)

Piauí 247 – A senadora Regina Sousa (PT-PI) vai assumir nesta terça-feira (14), no lugar do senador Paulo Paim (PT-RS), a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). Ela promete que vai lutar pelo fim da cultura do ódio, "que é grande em nosso país", e que vai atuar dando visibilidade aos segmentos sociais marginalizados, como negros, indígenas, LGBTs, a população de rua que é tratada como "invisível", segundo reportagem do Piauí Hoje (leia aqui).

Além da senadora piauiense, o PT indicou a também senadora Fátima Bezerra (PT-RN) para comandar a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR).

Escolhida líder do PT no Senado, Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirma que o partido demonstra comprometimento com a política de gênero: "É a vez das mulheres participarem, de forma cada vez mais sistemática e forte, das decisões políticas do nosso País".

Dos dez senadores petistas com mandato, quatro são mulheres, sendo que três ocupam cargos de destaque: as presidências da CDH e CDR e a liderança do partido.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247