Regina sobre vídeo em que é xingada: acham que não pareço senadora

Por determinação da 8ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, o vídeo em que a jornalista Joice Hasselmann usa os termos “gentalha”, “anta”, “semianalfabeta”, “cretina” durante discurso da senadora Regina Sousa (PT-PI), na discussão do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff no Senado, voltou ao YouTube; na primeira instância, a senadora havia conseguido liminar para tirar o vídeo do ar; senadora ficou abalada com decisão e chegou a chorar na tribuna no dia em que a decisão foi tornada pública, na última terça-feira (22)

 senadora Regina Sousa (PT-PI). Foto: Ana Volpe/Agência Senado
 senadora Regina Sousa (PT-PI). Foto: Ana Volpe/Agência Senado (Foto: José Barbacena)

Piauí 247 - Por determinação da 8ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, o vídeo em que a jornalista Joice Hasselmann usa os termos “gentalha”, “anta”, “semianalfabeta”, “cretina” durante discurso da senadora Regina Sousa (PT-PI), na discussão do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff no Senado, voltou ao YouTube. Na primeira instância, a senadora havia conseguido liminar para tirar o vídeo do ar.

A senadora ficou abalada com decisão e chegou a chorar na tribuna no dia em que a decisão foi tornada pública, na última terça-feira (22). No mesmo dia, Joice direcionou à senadora seu quadro “Sapatadas”, no programa “Os Pingos nos Is”, da rádio Jovem Pan, e voltou a se pronunciar na tarde de sexta-feira (25) a respeito do discurso de Regina, na tribuna do Senado, no início da semana.

Naquele dia, a senadora subiu à tribuna para falar sobre o preconceito direcionado à conterrânea Monalysa Alcântara, recém-eleita Miss Brasil, e que também sente preconceitos direcionados a ela. A senadora chorou ao falar sobre a decisão do colegiado e afirmou que a interpretação era de que o tribunal também achava que ela era “gentalha, analfabeta, anta”.

Regina afirmou que a decisão do tribunal mostra preconceito com sua aparência e modo de falar. “Não é pela questão da Regina Sousa. É a questão da mulher, da mulher negra, da mulher de cabelo ‘pixaim’… Eles não acham que eu pareço uma senadora. Isso é preconceito. Então, a Justiça brasileira tem de olhar para isso com mais carinho, com mais zelo”, disse à reportagem do Congresso em Foco na noite desta sexta-feira (25).

Com informações do Congresso em Foco

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247