Relação de Doria e Covas foi abalada após demissão de aliado do vice

João Doria segue colecionando problema em sua administração; agora, a indisposição é como vice-prefeito, Bruno Covas, que ameaçou deixar a Secretaria de Prefeituras Regionais; Doria decidiu demitir o secretário-adjunto de Prefeituras Regionais, Fabio Lepique, no dia 26, e informou por telefone o vice, que é titular da pasta e estava em Paris; Lepique era aliado de Covas, que não gostou da atitude de Doria e reclamou que não quer ser um "vice decorativo"

Joao doria e Bruno covas
Joao doria e Bruno covas (Foto: Giuliana Miranda)

SP 247 - A demissão do responsável pela zeladoria da cidade abalou a relação entre o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e seu vice, Bruno Covas (PSDB), que ameaçou deixar a Secretaria de Prefeituras Regionais.

Doria decidiu demitir o secretário-adjunto de Prefeituras Regionais, Fabio Lepique, no dia 26, e informou por telefone o vice, que é titular da pasta e estava em Paris.

A interlocutores, Covas expressou incômodo com atitudes recentes do prefeito e disse que não quer ser um "vice decorativo". Com o mal-estar, relatou disposição em ser candidato no ano que vem caso Doria permaneça à frente da prefeitura. Não há definição sobre qual posto disputaria.

Segundo quatro auxiliares de Doria ouvidos pela reportagem, o mal-estar se acentuou com a cobiça pela pasta, farta em contratos, pelo secretário Cláudio Carvalho (Investimento Social) com incentivo de Anderson Pomini (Justiça).

O desgaste começou há 20 dias, quando Doria anunciou a criação dos "superprefeitos regionais", que foi uma ideia de Carvalho, à revelia de Covas e Lepique.

As informações são de reportagem de Thais Bilenky na Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247