Relator do golpe, Jovair é condenado pelo TRE

Deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que apresentou texto favorável ao pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff como relator da comissão especial da Câmara, foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Goiás; ele é acusado de utilizar servidor comissionado da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) sem estar de férias ou licenciado do cargo durante sua campanha eleitoral de 2014; pena aplicada ao parlamentar seria uma multa de R$ 25 mil da qual ele disse que vai recorrer

Deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que apresentou texto favorável ao pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff como relator da comissão especial da Câmara, foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Goiás; ele é acusado de utilizar servidor comissionado da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) sem estar de férias ou licenciado do cargo durante sua campanha eleitoral de 2014; pena aplicada ao parlamentar seria uma multa de R$ 25 mil da qual ele disse que vai recorrer
Deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que apresentou texto favorável ao pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff como relator da comissão especial da Câmara, foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Goiás; ele é acusado de utilizar servidor comissionado da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) sem estar de férias ou licenciado do cargo durante sua campanha eleitoral de 2014; pena aplicada ao parlamentar seria uma multa de R$ 25 mil da qual ele disse que vai recorrer (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - Conhecido por ter apresentado texto favorável ao pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff como relator da comissão especial que discutiu o assunto na Câmara, o deputado Jovair Arantes (PTB-GO) foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Goiás por utilizar um servidor comissionado da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) sem estar de férias ou licenciado do cargo durante sua campanha eleitoral de 2014. A pena aplicada ao parlamentar seria uma multa de R$ 25 mil da qual ele disse que vai recorrer, conforme conta matéria do portal Congresso em Foco.

Conforme conta a reportagem, o deputado já controlava a Conab desde o primeiro ano do governo Dilma, indicando todos os presidentes da companhia e controlando diretorias e cargos de assessoramento. O petebista perdeu os cargos após encaminhar parecer favorável à abertura de processo contra a presidente.

A lei eleitoral proíbe que agentes públicos cedam servidores para comitês de campanha durante o horário de expediente, salvo licença. Em sua defesa, Arantes afirmou a O Globo que o servidor contribuiu apenas no período de suas férias.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247