Remoção das placas deve levar 3 dias

A remoção das placas do Moinho Motrisa, em Maceió, que ficaram penduradas após o acidente ocorrido no dia sete deste mês deixando cinco feridos, devem começar a ser retiradas hoje (23). Os guindastes de uma empresa de Salvador já estão na capital. Dependendo da questão climática, a retirada deve durar até três dias

A remoção das placas do Moinho Motrisa, em Maceió, que ficaram penduradas após o acidente ocorrido no dia sete deste mês deixando cinco feridos, devem começar a ser retiradas hoje (23). Os guindastes de uma empresa de Salvador já estão na capital. Dependendo da questão climática, a retirada deve durar até três dias
A remoção das placas do Moinho Motrisa, em Maceió, que ficaram penduradas após o acidente ocorrido no dia sete deste mês deixando cinco feridos, devem começar a ser retiradas hoje (23). Os guindastes de uma empresa de Salvador já estão na capital. Dependendo da questão climática, a retirada deve durar até três dias (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - As placas de concreto que ficaram penduradas no silo da Indústria Moinho Motrisa devem começar a ser retiradas nesta quarta-feira (23), após um procedimento preparatório para que todo o trabalho seja realizado com segurança, como o desligamento da energia elétrica. De acordo com o coordenador Estadual da Defesa Civil, Dinário Lemos, a expectativa é que o procedimento para a retirada dos pedaços de concreto dure de dois a três dias, a depender dos fatores climáticos.

Os guindastes de uma empresa de Salvador chegaram nesta manhã a Maceió. O desabamento de uma das torres aconteceu há duas semanas, o que deixou cinco pessoas feridas, além de danificar mais de 15 veículos. Moradores tiveram que deixar os imóveis, comerciantes fecharam estabelecimentos e parte da avenida foi interditada.

Com quatro metros de altura e três de comprimento, o veículo pertencente à empresa baiana Vertical Guindastes e Transportes comporta um guindaste de 84 metros, capaz de suportar até 240 toneladas. Nas primeiras horas desta manhã, representantes da empresa estavam na Assis Chateaubriand, em Jaraguá, à espera de técnicos da Eletrobras Distribuição Alagoas e da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT).

"Aguardamos a chegada deles para a logística do transporte, porque é um veículo de grande porte e que está em área urbana. Mas tudo vai dar certo e essas placas serão retiradas", informou Girleide Gomes, representantes da empresa.

À frente dos trabalhos, o operador José Jorge de Almeida garantiu a total segurança do equipamento para o reinício dos trabalhos. Ele frisou que a Empresa Vertical apresentará um documento denominado Plano de Rigging. "No documento, analisamos todo tipo de risco para a retirada das placas. Já estamos com as duas máquinas e com o operador que irá movimentar a carga", informa.

O caso está sendo investigado pelo delegado Egivaldo Lopes, do 2º Distrito Policial, que já começou a ouvir proprietários de veículos danificados durante o desabamento de um dos silos do moinho que armazenava trigo. Cerca de 70 pessoas – de 27 casas – que residiam próximos à fábrica Moinho Motrisa, além de proprietários de 15 estabelecimentos, foram afetados. Pelo menos, 15 veículos foram danificados devido à demolição.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247