Renan: arquivamento da PF mostra que fui vítima de delação sem provas

"Essa decisão da PF mostra que réus desesperados pela redução de pena e para lavar dinheiro público roubado não podem acusar sem provas", postou o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) no Twitter, ao comentar relatório da Polícia Federal que afirma que ele, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-senador José Sarney não cometeram obstrução à Justiça; no auge das acusações, o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, chegou a afastar Renan da presidência do Senado, antes mesmo das investigações

renan
renan (Foto: Gisele Federicce)

247 - O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) comentou nas redes sociais o relatório da Polícia Federal que conclui que ele, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-senador José Sarney não cometeram obstrução à Justiça.

O caso está relacionado ao diálogo flagrado pelo ex-presidente da Transpetro Sergio Machado, em que Jucá fala em "estancar a sangria" da Lava Jato, num acordo "com o Supremo, com tudo".

"Essa decisão da PF mostra que réus desesperados pela redução de pena e para lavar dinheiro público roubado não podem acusar sem provas", postou Renan no Twitter. 

No auge das acusações, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, chegou a afastar Renan da presidência do Senado, antes mesmo das investigações. A decisão foi tomada em dezembro de 2016, após Renan ter virado réu em um processo sobre suas relações com a empreiteira Mendes Jr., que o acusa de peculato.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247