Renan Filho defende criação do Sistema Nacional de Segurança

O governador Renan Filho (MDB) defendeu, durante o Encontro de Governadores do Nordeste, no Piauí, a criação do Sistema Nacional de Segurança Pública; a proposta faz parte da Carta de Teresina assinada juntamente com outros três termos que tratam da implementação de políticas públicas para o setor; para ele, “É muito importante que a gente, em diálogo com o Congresso Nacional, com a sociedade, o Governo Federal e com os outros Poderes, crie o Sistema que permita, sobretudo, custear a política de Segurança Pública, como foi possível custear a política pública de Saúde e de Educação”

O governador Renan Filho (MDB) defendeu, durante o Encontro de Governadores do Nordeste, no Piauí, a criação do Sistema Nacional de Segurança Pública; a proposta faz parte da Carta de Teresina assinada juntamente com outros três termos que tratam da implementação de políticas públicas para o setor; para ele, “É muito importante que a gente, em diálogo com o Congresso Nacional, com a sociedade, o Governo Federal e com os outros Poderes, crie o Sistema que permita, sobretudo, custear a política de Segurança Pública, como foi possível custear a política pública de Saúde e de Educação”
O governador Renan Filho (MDB) defendeu, durante o Encontro de Governadores do Nordeste, no Piauí, a criação do Sistema Nacional de Segurança Pública; a proposta faz parte da Carta de Teresina assinada juntamente com outros três termos que tratam da implementação de políticas públicas para o setor; para ele, “É muito importante que a gente, em diálogo com o Congresso Nacional, com a sociedade, o Governo Federal e com os outros Poderes, crie o Sistema que permita, sobretudo, custear a política de Segurança Pública, como foi possível custear a política pública de Saúde e de Educação” (Foto: Voney Malta)

Por eassim.net - O governador Renan Filho defendeu, nesta terça-feira (6), durante o Encontro de Governadores do Nordeste, no Piauí, a criação do Sistema Nacional de Segurança Pública. A proposta faz parte da Carta de Teresina assinada juntamente com outros três termos que tratam da implementação de políticas públicas para o setor.

 “É muito importante que a gente, em diálogo com o Congresso Nacional, com a sociedade, o Governo Federal e com os outros Poderes, crie o Sistema Nacional de Segurança Pública. Um sistema que permita, sobretudo, custear a política de Segurança Pública, como foi possível custear a política pública de Saúde e de Educação”, propôs Renan Filho, em seu discurso aos governadores.

Eles assinaram o Termo de Cooperação para a criação do Sistema de Inteligência para todo o Nordeste, propondo ao Ministério da Segurança a instituição do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP).

No segundo termo assinado, os governadores tratam da criação da Operação Nordeste. “Serão desenvolvidas ações conjuntas com as forças de segurança dos Estados e a Força Nacional. Vamos atuar, junto ao Ministério, para que haja uma integração com as Forças Armadas e as polícias Federal e Rodoviária Federal”, acrescentou o governador do Piauí, Wellington Dias.

Renan Filho propôs o redirecionamento da Força Nacional, composta por policiais nordestinos, para atuação na própria região de origem. No terceiro termo assinado, os governadores pedem a criação, por parte do Governo Federal, de um fundo soberano para suprir as ações do Plano Nacional de Segurança Pública, além do empréstimo já anunciado pelo presidente Michel Temer, no montante de R$ 42 bilhões – a maior parte oferecida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES).

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247