Renata não cita Marina e se coloca à disposição do PSB

Viúva de Eduardo Campos rompe silêncio em evento convocado por ela, com lideranças e militância da coligação Frente Popular de Pernambuco; acompanhada dos cinco filhos, Renata Campos prometeu não "desistir" do Brasil, como pediu o candidato em entrevista ao Jornal Nacional, um dia antes de morrer; "Fica tranquilo, Dudu, teremos a sua coragem para mudar o Brasil", disse; "Como participei a vida toda [da política], não terá diferença dessa vez. Tenho a sensação que tenho de participar por dois. Contem com a gente", acrescentou, sem citar o nome de Marina Silva, principal cotada a ser candidata a presidente; ontem, Renata e os filhos fizeram as últimas homenagens durante o sepultamento de Campos

Viúva de Eduardo Campos rompe silêncio em evento convocado por ela, com lideranças e militância da coligação Frente Popular de Pernambuco; acompanhada dos cinco filhos, Renata Campos prometeu não "desistir" do Brasil, como pediu o candidato em entrevista ao Jornal Nacional, um dia antes de morrer; "Fica tranquilo, Dudu, teremos a sua coragem para mudar o Brasil", disse; "Como participei a vida toda [da política], não terá diferença dessa vez. Tenho a sensação que tenho de participar por dois. Contem com a gente", acrescentou, sem citar o nome de Marina Silva, principal cotada a ser candidata a presidente; ontem, Renata e os filhos fizeram as últimas homenagens durante o sepultamento de Campos
Viúva de Eduardo Campos rompe silêncio em evento convocado por ela, com lideranças e militância da coligação Frente Popular de Pernambuco; acompanhada dos cinco filhos, Renata Campos prometeu não "desistir" do Brasil, como pediu o candidato em entrevista ao Jornal Nacional, um dia antes de morrer; "Fica tranquilo, Dudu, teremos a sua coragem para mudar o Brasil", disse; "Como participei a vida toda [da política], não terá diferença dessa vez. Tenho a sensação que tenho de participar por dois. Contem com a gente", acrescentou, sem citar o nome de Marina Silva, principal cotada a ser candidata a presidente; ontem, Renata e os filhos fizeram as últimas homenagens durante o sepultamento de Campos (Foto: Gisele Federicce)

247 – Em um discurso curto e sem citar uma só vez o nome de Marina Silva, provável candidata do PSB à Presidência da República, a viúva de Eduardo Campos, Renata, se colocou hoje à disposição do partido. "Tenho a sensação que tenho de participar por dois. Contem com a gente", disse, cercada pelos filhos na casa de eventos Blue Angel, no bairro do Derby, no Recife.

O encontro foi convocado pela própria Renata para reunir lideranças e a militância de todos os partidos da coligação Frente Popular de Pernambuco, que lançaria Eduardo à presidência. Na primeira fala após a morte do marido, ela prometeu não "desistir" do Brasil, como pediu o candidato um dia antes de morrer, em entrevista ao Jornal Nacional. "Fica tranquilo, Dudu, teremos a sua coragem para mudar o Brasil. Não desistiremos do Brasil. É aqui que cuidaremos dos nossos filhos", discursou.

Renata Campos também estava acompanhada do candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara, e o candidato a vice, Raul Henry, além do ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, que disputa uma vaga no Senado.

"Depois da tragédia, lembro que perguntaram: 'O que faremos?'", disse Renata. "Mantém tudo como ele queria!", prosseguiu. "Como participei a vida toda [da política], não terá diferença dessa vez. Tenho a sensação que tenho de participar por dois. Foi da vontade dele de eleger Paulo, Raul e Fernando", afirmou. "Estou aqui com meus filhos para dizer que Paulo, Raul e Fernando contem com a gente".

Cotada a participar da chapa com Marina, a viúva de Campos foi recebida pela militância aos gritos de "vice-presidente". Segundo o irmão de Eduardo, Antônio Campos, ela tem resistido à ideia. Ontem, Renata e os cinco filhos fizeram as últimas homenagens a Eduardo Campos no cemitério de Santo Amaro, no Recife. Passaram pelo velório e sepultamento, ao longo da madrugada do sábado e de todo o domingo, cerca de 140 mil pessoas, segundo a polícia.

Abaixo, reportagem da Agência Brasil sobre o evento:

"Tenho que participar da campanha por dois", diz viúva de Eduardo Campos

Ivan Richard, enviado especial - Ao falar publicamente pela primeira vez desde a morte do marido Eduardo Campos, a viúva Renata Campos disse hoje (18), no Recife, que a partir de agora dará prosseguimento aos sonhos e projetos do ex-governador pernambucano. "Participei a vida inteira de campanha, não será diferente com esta. Com uma diferença: tenho que participar por dois", disse Renata, apontada como possível candidata à vice na chapa do PSB na disputa à Presidência. "Depois de todos esses anos sabendo que muitas coisas precisam ser feitas ainda, precisamos garantir essa vitória para esse sonho ir adiante", acrescentou Renata, acompanhada de três dos cinco filhos.

O presidente da sigla, Roberto Amaral, disse que, com a morte de Eduardo Campos, Renata passou a ser "a grande liderança do PSB". "Depois de Arraes e de Eduardo, nosso partido tem uma nova liderança. Essa liderança magnífica que é a alma do nosso partido, das nossas entranhas, que representa o povo brasileiro. A grande liderança do partido é Renata Campos", discursou. "Quem olhar para Renata verá Eduardo comandando a campanha", acrescentou o presidente do partido. "A maior prova de amor por Eduardo será fazer o que ele desejava, que era eleger o novo presidente do Brasil e o novo governador de Pernambuco".

Aparentando timidez, Renata optou por ler um discurso previamente pronto. Agradeceu o apoio e as manifestações de carinho dos pernambucanos e ordenou aos correligionários que mantenham "tudo como Eduardo deixou".

Em evento de campanha para o governo de Pernambuco, várias lideranças do PSB usaram a morte de Eduardo Campos como mote eleitoral do partido. "Nosso líder, nosso guerreiro não morreu. Ele está vivo nos nossos corações", discursou Fernando Bezerra Coelho, candidato ao Senado pelo PSB. "A partir de agora, quem não está com Paulo Câmara não está com Eduardo Campos", acrescentou o próprio Paulo Câmara, candidato do PSB ao governo do estado.

No último final de semana, o presidente do PSB antecipou que o primeiro programa eleitoral do partido na televisão e no rádio, que começa a ser veiculado amanhã, será "plástico" em homenagem à memória do ex-presidenciável, que morreu no último dia 13, em um acidente aéreo na cidade de Santos, em São Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247