Réu em três ações penais, líder de Temer diz que 'bandido bom é bandido morto'

"Lugar de bandido não é em Sergipe. Bandido bom é bandido morto. E aqui em Sergipe nós vamos mostrar que é possível fazer segurança de verdade", discursou o deputado André Moura (PSC-SE), líder de Michel Temer no Congresso, durante solenidade em Sergipe; Moura é réu em três ações penais no STF por formação de quadrilha e crimes de responsabilidade, e investigado pelos mesmos crimes e também por peculato, fraude de licitações, desvio de recursos públicos e até tentativa de homicídio; na foto, Moura entrega uma carta de apoio ao então ministro Geddel Vieira Lima, após a descoberta do bunker com R$ 51 milhões

"Lugar de bandido não é em Sergipe. Bandido bom é bandido morto. E aqui em Sergipe nós vamos mostrar que é possível fazer segurança de verdade", discursou o deputado André Moura (PSC-SE), líder de Michel Temer no Congresso, durante solenidade em Sergipe; Moura é réu em três ações penais no STF por formação de quadrilha e crimes de responsabilidade, e investigado pelos mesmos crimes e também por peculato, fraude de licitações, desvio de recursos públicos e até tentativa de homicídio; na foto, Moura entrega uma carta de apoio ao então ministro Geddel Vieira Lima, após a descoberta do bunker com R$ 51 milhões
"Lugar de bandido não é em Sergipe. Bandido bom é bandido morto. E aqui em Sergipe nós vamos mostrar que é possível fazer segurança de verdade", discursou o deputado André Moura (PSC-SE), líder de Michel Temer no Congresso, durante solenidade em Sergipe; Moura é réu em três ações penais no STF por formação de quadrilha e crimes de responsabilidade, e investigado pelos mesmos crimes e também por peculato, fraude de licitações, desvio de recursos públicos e até tentativa de homicídio; na foto, Moura entrega uma carta de apoio ao então ministro Geddel Vieira Lima, após a descoberta do bunker com R$ 51 milhões (Foto: Aquiles Lins)

Sergipe 247 - O deputado André Moura (PSC-SE), líder do governo de Michel Temer no Congresso, defendeu durante solenidade da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Sergipe que "bandido bom é bandido morto". 

"A segurança pública é um caos. Falta no governo um homem que tenha pulso para mostrar que aqui em Sergipe, como em muitos lugares, lugar de bandido não é em Sergipe. Bandido bom é bandido morto. E aqui em Sergipe nós vamos mostrar que é possível fazer segurança de verdade", afirmou Moura em vídeo que circula nas redes sociais.

O discurso de candidato de líder de Michel Temer foi feito na última sexta-feira, 20, no 1º Encontro de Produtores dos Perímetros Irrigados do Baixo São Francisco, no povoado Serrão, da cidade de Ilha das Flores (SE), que contou com a presença do presidente da Codesvasf, Antônio Avelino Neiva.

Moura é réu em três ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF), investigado por formação de quadrilha e crimes de responsabilidade. Além disso, o deputado é investigado em outros três inquéritos no STF, sob suspeita dos mesmos crimes e também de peculato (apropriação de dinheiro ou bem público em razão do cargo ocupado); fraude de licitações; desvio de recursos públicos; e até tentativa de homicídio.

Em agosto, o líder do governo foi condenado em primeira instância por um dano de R$ 1,4 milhão ao patrimônio público, dinheiro repassado da prefeitura de Pirambu (SE) – já comandada por ele – ao "Time do Mourão" de forma fraudulenta, conforme a sentença. No mês passado, a Justiça condenou o deputado por gastos de R$ 30,4 mil da prefeitura em mercadinhos e uma peixaria. E, em junho de 2016, o Tribunal de Justiça confirmou uma sentença por consumo de tira-gosto, bebida alcoólica e churrasco, também com dinheiro do município.

As informações são do jornalista Vinicius Sassine, do jornal O Globo.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247