Réus do caso Kiss não irão a julgamento popular, decide justiça

O 1º Grupo Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) negou recurso do Ministério Público que visava reverter a decisão que suspendeu o julgamento popular para os quatro réus do processo sobre o incêndio da boate Kiss, em Santa Maria; os pais de vítimas ficaram revoltados, chamaram a justiça de "vergonhosa", se retiraram da sala e vão recorrer a Brasília; tragédia ocorrida em 27 de janeiro de 2013 deixou 242 pessoas mortas e 636 feridas

O 1º Grupo Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) negou recurso do Ministério Público que visava reverter a decisão que suspendeu o julgamento popular para os quatro réus do processo sobre o incêndio da boate Kiss, em Santa Maria; os pais de vítimas ficaram revoltados, chamaram a justiça de "vergonhosa", se retiraram da sala e vão recorrer a Brasília; tragédia ocorrida em 27 de janeiro de 2013 deixou 242 pessoas mortas e 636 feridas
O 1º Grupo Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) negou recurso do Ministério Público que visava reverter a decisão que suspendeu o julgamento popular para os quatro réus do processo sobre o incêndio da boate Kiss, em Santa Maria; os pais de vítimas ficaram revoltados, chamaram a justiça de "vergonhosa", se retiraram da sala e vão recorrer a Brasília; tragédia ocorrida em 27 de janeiro de 2013 deixou 242 pessoas mortas e 636 feridas (Foto: Voney Malta)

Rio Grande do Sul 247 – O recurso do Ministério Público que visava reverter a decisão que suspendeu o julgamento popular para os quatro réus do processo sobre o incêndio da boate Kiss, em Santa Maria, foi negado pelo 1º Grupo Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), nesta sexta-feira (2). Tragédia ocorrida em 27 de janeiro de 2013 deixou 242 pessoas mortas e 636 feridas.

A decisão dos desembargadores que analisaram os embargos de declaração foi unânime. Com isso, acabam beneficiados ossócios da casa noturna Elissandro Callegaro Spohr, o Kiko, e Mauro Londero Hoffmann e os integrantes da banda Gurizada Fandangueira Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Augusto Bonilha Leão, que aguardam o julgamento em liberdade.

Os pais de vítimas que acompanharam ficaram revoltados. Eles reagiram chamando a justiça de "vergonhosa" e se retiraram da sala. O advogado da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), Ricardo Breier, já disse que irá recorrer a Brasília para tentar levar os quatro réus a julgamento popular.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247