Robinson: “Arthur Maia é infiel ao direito do povo se aposentar”

O deputado federal baiano Robinson Almeida (PT) rebateu o relator da reforma da Previdência na Câmara, seu conterrâneo, Arthur Maia (PPS-BA), que chamou de "infiéis" parlamentares que querem votar matéria após eleições; "Arthur Maia, sim, é infiel ao direito do povo se aposentar", diz o petista; para Robinson, "Maia é fiel à Previdência privada, financiadora de sua campanha e maior interessada nessa maldita reforma"

O deputado federal baiano Robinson Almeida (PT) rebateu o relator da reforma da Previdência na Câmara, seu conterrâneo, Arthur Maia (PPS-BA), que chamou de "infiéis" parlamentares que querem votar matéria após eleições; "Arthur Maia, sim, é infiel ao direito do povo se aposentar", diz o petista; para Robinson, "Maia é fiel à Previdência privada, financiadora de sua campanha e maior interessada nessa maldita reforma"
O deputado federal baiano Robinson Almeida (PT) rebateu o relator da reforma da Previdência na Câmara, seu conterrâneo, Arthur Maia (PPS-BA), que chamou de "infiéis" parlamentares que querem votar matéria após eleições; "Arthur Maia, sim, é infiel ao direito do povo se aposentar", diz o petista; para Robinson, "Maia é fiel à Previdência privada, financiadora de sua campanha e maior interessada nessa maldita reforma" (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O deputado federal baiano Robinson Almeida (PT) rebateu o relator da reforma da Previdência na Câmara, seu conterrâneo, Arthur Maia (PPS-BA), que chamou de "infiéis" parlamentares que querem votar matéria após eleições. "Arthur Maia, sim, é infiel ao direito do povo se aposentar", diz o petista.

Para Robinson, "Maia é fiel à Previdência privada, financiadora de sua campanha e maior interessada nessa maldita reforma".

O deputado afirma que tal atitude "demonstra, mais uma vez, o desprezo de Maia ao direito do povo brasileiro se aposentar". Segundo ele, a fala do relator tem como objetivo constranger os deputados da base de Temer a votar a favor da reforma previdenciária imediatamente.

"A proposta da Reforma da Previdência não deve ser votada nem antes e nem depois das eleições. Deve ser arquivada, pois retira direitos, diminui o valor dos benefícios e retarda ou impossibilita a aposentadoria dos brasileiros. Além disso, prejudica diretamente as mulheres e os trabalhadores rurais", diz Robinson.

Interesse pessoal

Em março deste ano, Robinson Almeida apresentou à Corregedoria da Câmara uma representação contra relatoria de Arthur Maia.

No documento protocolado, o deputado mostra que Arthur Maia tem uma empresa que está na lista de devedores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A dívida – que seria de R$ 150 mil – inviabiliza a manutenção de Maia na condição de relator da reforma por ausência de impessoalidade e da moralidade.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247