Robinson: mesmo preso, Cunha emplaca aliado como ministro da Justiça

Deputado baiano Robinson Almeida diz que a escolha de Michel Temer pelo deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o Ministério da Justiça atende a pedido do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso no âmbito da Operação Lava Jato; "Mais uma vez, a escolha de gestores desse governo ilegítimo baseia-se em interesses pessoais e em tentativas de barrar as investigações da Lava Jato. É inaceitável que um deputado que teve o mandato cassado, Eduardo Cunha, indique o ministro da Justiça. E ainda mais Osmar Serraglio, seu fiel defensor na Câmara. Mais uma ameaça à Lava Jato, em pleno carnaval", afirma Robinson

Deputado baiano Robinson Almeida diz que a escolha de Michel Temer pelo deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o Ministério da Justiça atende a pedido do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso no âmbito da Operação Lava Jato; "Mais uma vez, a escolha de gestores desse governo ilegítimo baseia-se em interesses pessoais e em tentativas de barrar as investigações da Lava Jato. É inaceitável que um deputado que teve o mandato cassado, Eduardo Cunha, indique o ministro da Justiça. E ainda mais Osmar Serraglio, seu fiel defensor na Câmara. Mais uma ameaça à Lava Jato, em pleno carnaval", afirma Robinson
Deputado baiano Robinson Almeida diz que a escolha de Michel Temer pelo deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o Ministério da Justiça atende a pedido do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso no âmbito da Operação Lava Jato; "Mais uma vez, a escolha de gestores desse governo ilegítimo baseia-se em interesses pessoais e em tentativas de barrar as investigações da Lava Jato. É inaceitável que um deputado que teve o mandato cassado, Eduardo Cunha, indique o ministro da Justiça. E ainda mais Osmar Serraglio, seu fiel defensor na Câmara. Mais uma ameaça à Lava Jato, em pleno carnaval", afirma Robinson (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O deputado federal baiano Robinson Almeida (PT) disse nesta sexta-feira (24) que a escolha de Michel Temer pelo deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o Ministério da Justiça atende a pedido do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso no âmbito da Operação Lava Jato.

"Mais uma vez, a escolha de gestores desse governo ilegítimo baseia-se em interesses pessoais e em tentativas de barrar as investigações da Lava Jato. É inaceitável que um deputado que teve o mandato cassado, Eduardo Cunha, indique o Ministro da Justiça; e ainda mais, Osmar Serraglio, seu fiel defensor na Câmara dos Deputados. Pense num absurdo, o governo Temer bate o recorde! Mais uma ameaça à Lava Jato, em pleno Carnaval", afirma Robinson.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247