Rodrimar contradiz Loures no inquérito dos portos

A Rodrimar, empresa investigada por suspeita de favorecimento em decreto dos portos de Michel Temer, editado em maio de 2017, afirmou que que Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), ex-assessor de Temer, foi um dos integrantes do grupo criado pelo governo para discutir as novas normas para o setor; Loures ganhou notoriedade ao ser preso com uma mala com R$ 500 mil

BRASILIA DF 23/02/2010 POLITICA Presidente Michel Temer recebe Deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) e convidado na Camara dos Deputados FOTO JBatista / Agencia Camara
BRASILIA DF 23/02/2010 POLITICA Presidente Michel Temer recebe Deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) e convidado na Camara dos Deputados FOTO JBatista / Agencia Camara (Foto: Leonardo Attuch)

Jornal GGNA Rodrimar, empresa investigada por suspeita de favorecimento em decreto dos portos de Michel Temer, editado em maio de 2017, em entrevista à Folha, afirmou que que Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), ex-assessor de Temer, foi um dos integrantes do grupo criado pelo governo para discutir as novas normas para o setor. Normas benéficas. 
 
Loures, por seu turno, declarou à Polícia Federal, que as empresas o viam como interlocutor do governo no tema, o que "não era verdadeiro".
 
No início das apurações, em junho passado, Rodrigo Mesquita, executivo da Rodrimar, investigado no reflexo da delação da JBS, afirmou que Loures era "um importante interlocutor" dos interesses do setor portuário quando o decreto estava sendo discutido.
 
As versões conflitantes levantam suspeitas de que Loures esteja minimizando sua participação no feito, o que o coloca no centro de investigações da PF. O inquérito de benefícios ao setor de portos é o único ainda aberto que tem Temer como alvo.
 
Leia a íntegra no GGN.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247