RS quer fechar prédios públicos para julgamento de Lula

A Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, comandada por Cezar Schirmer, pediu o fechamento de todos os prédios públicos do Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, conhecido como Parque da Harmonia, no entorno da sede do TRF-4, em Porto Alegre, onde o ex-presidente Lula será julgado no próximo dia 24; também foi montado o Grupo de Gestão Integrada (GGI), que agrega Brigada Militar, Polícia Civil, Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Exército, Marinha, Aeronáutica, Rodoviária (Estadual e Federal), Bombeiros e Defesa Civil

A Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, comandada por Cezar Schirmer, pediu o fechamento de todos os prédios públicos do Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, conhecido como Parque da Harmonia, no entorno da sede do TRF-4, em Porto Alegre, onde o ex-presidente Lula será julgado no próximo dia 24; também foi montado o Grupo de Gestão Integrada (GGI), que agrega Brigada Militar, Polícia Civil, Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Exército, Marinha, Aeronáutica, Rodoviária (Estadual e Federal), Bombeiros e Defesa Civil
A Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, comandada por Cezar Schirmer, pediu o fechamento de todos os prédios públicos do Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, conhecido como Parque da Harmonia, no entorno da sede do TRF-4, em Porto Alegre, onde o ex-presidente Lula será julgado no próximo dia 24; também foi montado o Grupo de Gestão Integrada (GGI), que agrega Brigada Militar, Polícia Civil, Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Exército, Marinha, Aeronáutica, Rodoviária (Estadual e Federal), Bombeiros e Defesa Civil (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 - A Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul pediu o fechamento de todos os prédios públicos do Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, conhecido como Parque da Harmonia, no entorno da sede do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, onde o ex-presidente Lula será julgado no próximo dia 24 no processo envolvendo o tripléx do Guarujá. Os órgãos como Incra, Receita Federal, IBGE e Serpro – empresa federal de processamento de dados – deverão fechar na véspera e no dia do julgamento.

O esquema de segurança foi reforçado na capital gaúcha. Além de a Brigada Militar estar de prontidão no loca, equipes da Polícia Federal e até do Exército estão em atividade em consequência do protestos previstos contra e a favor do ex-presidente.

De acordo com o secretário Cezar Schirmer, "a democracia pressupõe a convivência de contrários, respeito às divergências, então os contra e os a favor querem se manifestar, vão se manifestar democraticamente". "Queremos protegê-los e proteger a população de Porto Alegre. Não queremos nenhum incidente violento, queremos respeito à ordem pública e à lei", disse ele ao Estadão.

Formado no começo deste mês, foi montado o Grupo de Gestão Integrada (GGI) com corporações do estado, da União e do município. O GGI agrega Brigada Militar, Polícias Civil, Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Exército, Marinha, Aeronáutica, Rodoviária (Estadual e Federal), Bombeiros e Defesa Civil. O titular da pasta também informou que 150 homens da Força Nacional de Segurança, que já atuam em Porto Alegre desde o ano passado, serão deslocados.

Nesta quinta-feira (18) haverá uma reunião operacional do GGI para definir a função de cada órgão e os acertos finais da operação.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247