Rui corta Nilo: 'Não tenho máquina de fazer dinheiro'

O governador Rui Costa deixa claro que o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), não contará com o Estado para sua decisão incoerente de aumentar a verba de gabinete dos 63 parlamentares; "Não vou suplementar. Não tenho a máquina de imprimir dinheiro. Aqui eu não tenho essa opção. Nesses três meses do ano, comparado com os três meses do ano passado, arrecadei menos. Estou num esforço enorme para chegar no orçamento. Se não tenho previsão de chegar no orçamento, como posso falar de suplementação do orçamento?", questiona Rui, para alívio dos contribuintes

O governador Rui Costa deixa claro que o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), não contará com o Estado para sua decisão incoerente de aumentar a verba de gabinete dos 63 parlamentares; "Não vou suplementar. Não tenho a máquina de imprimir dinheiro. Aqui eu não tenho essa opção. Nesses três meses do ano, comparado com os três meses do ano passado, arrecadei menos. Estou num esforço enorme para chegar no orçamento. Se não tenho previsão de chegar no orçamento, como posso falar de suplementação do orçamento?", questiona Rui, para alívio dos contribuintes
O governador Rui Costa deixa claro que o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), não contará com o Estado para sua decisão incoerente de aumentar a verba de gabinete dos 63 parlamentares; "Não vou suplementar. Não tenho a máquina de imprimir dinheiro. Aqui eu não tenho essa opção. Nesses três meses do ano, comparado com os três meses do ano passado, arrecadei menos. Estou num esforço enorme para chegar no orçamento. Se não tenho previsão de chegar no orçamento, como posso falar de suplementação do orçamento?", questiona Rui, para alívio dos contribuintes (Foto: Romulo Faro)

Romulo Faro/Bahia 247 - O governador Rui Costa deixa claro que o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), deputado Marcelo Nilo (PDT), não contará com o Estado para sua decisão completamente imprópria (num momento de crise financeira e redução de gastos) de aumentar a verba de gabinete dos 63 parlamentares estaduais. Em entrevista à rádio Metrópole, o governador disse que não há hipótese de atender à vontade do 'príncipe de Antas', como diz o apresentador Mário Kertész. 

"Não vou suplementar. Não tenho a máquina de imprimir dinheiro. Aqui eu não tenho essa opção. Nesses três meses do ano, comparado com os três meses do ano passado, arrecadei menos. Estou num esforço enorme para chegar no orçamento. Se não tenho previsão de chegar no orçamento, como posso falar de suplementação do orçamento? Estou vendo o que é possível fazer com os servidores. Prefiro ter uma reclamação de não ter aplicado um reajuste, do que ter um desprazer de atrasar os salários. Não vou permitir que fique igual a Brasília e Paraná, que não cuidaram da gestão", disse Rui Costa, para alívio dos baianos que não aguentam mais pagar tanto imposto e ver seu dinheiro render cada vez menos.

A verba, na proposta mirabolante de Marcelo Nilo, passaria de R$ 78 mil para R$ 92 mil por gabinete, gerando assim um gasto adicional anual de R$ 11 milhões aos contribuintes.

Mas o presidente da Assembleia 'justifica' sua intenção de aumentar o repasse a ele a seus colegas comparando o valor aos rendimentos mensais de um trabalhador comum, que ganha um salário mínimo de R$ 788 (sem descontos) para passar o mês.

"Servidor público tem todo ano aumento. Já tem quatro anos que não tem aumento de verba de gabinete. O Congresso aumentou, todas as assembleias aumentaram. Somos os últimos a dar o aumento. Os deputados, no seu direito, pressionaram (para aumentar a verba de gabinete). As lideranças e as mesas diretoras não terão aumento. Vamos dar aumento, mas tenho recurso até agosto. Suspendemos a bolsa de estudos", diz Marcelo Nilo.

Não fosse um assunto tão sério e lamentável, daria até para achar que o presidente do Poder Legislativo baiano está fazendo piada, que seria uma mentirinha na véspera do 1º de abril.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247