Rui defende governo e promete concurso

Durante sabatina organizada pela Federação do Comércio do Estado de Alagoas (Fecomércio), o candidato à reeleição, prefeito Rui Palmeira (PSDB), defendeu a sua gestão ao afirmar que Maceió ‘avançou’ por conta de medidas que tomou ao assumir o governo municipal; ele também anunciou que fai haver concurso público para a Educação até o final deste ano

65 anos do Fecomercio Foto: Pei Fon Secom/Maceió
65 anos do Fecomercio Foto: Pei Fon Secom/Maceió (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - O candidato à reeleição, prefeito Rui Palmeira (PSDB), participou da sabatina realizada pela Federação do Comércio do Estado de Alagoas (Fecomércio), na manhã desta quarta-feira (14). Rui falou sobre diversos temas e prometeu fazer concurso público para a Educação até o final deste ano. 

No início da entrevista, foi questionado ao candidato sobre a situação do Centro de Maceió, onde, segundo pesquisa, entre 2015 e 2016, a intenção de comprar caiu de 13% para 7%. Em resposta, Palmeira informou que estava disposto a conversar com as entidades. 

"Temos muitos problemas, mas conseguimos avançar, porque as portas estão abertas para as entidades. Minimizamos o problema dos camelôs no calçadão e, também, melhoramos a infraestrutura, a iluminação, o recolhimento de lixo e o transporte. Temos outros problemas que não são públicos, como é o caso dos estacionamentos, mas precisamos manter o diálogo com as entidades", disse o prefeito. 

Ainda na área de desenvolvimento econômico, ele foi indagado quanto à possibilidade de se criar uma agência de fomento municipal, porém, salientou que este não é o papel do Município. O Estado, segundo ele, já tem a Desenvolve e os bancos, como o do Nordeste, que oferecem linhas de crédito. 

"Vejo muitos candidatos prometendo isso, mas entendo que não é viável, até pela condição financeira do Município. A Desenvolve já é nossa parceira, e todo investimento e parceria com o Estado são sempre muito bem-vindos", ponderou Rui Palmeira. 

Na oportunidade, Rui falou sobre concurso público na área municipal, prometendo fazer o da Educação até o final deste ano. De acordo com ele, a comissão já foi formada e a meta é fazer até o mês de dezembro, sobretudo para o magistério, que é a maior carência. Outras áreas também necessitam de concurso público, conforme avaliou. 

Palmeira disse que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) ficou estagnado por oito anos, mas, agora, voltou a crescer. Explicou que conseguiu reformar 80 escolas e entregar 15 creches, que era uma grande carência. Foram entregues uniformes e a acessibilidade cresceu. 

"Minha primeira medida quando assumi, que pode parecer besteira, mas não é, foi dobrar o investimento em merenda. No Ideb, começamos a crescer. Nos oito anos anteriores, Maceió ficou estagnada e, atualmente, ficamos próximos da meta e, com certeza, vamos melhorar e alcançá-la", comentou. 

O atual prefeito respondeu, também, a uma pergunta sobre o Programa de Saúde da Família (PSF). Em sua visão, ele informou que o programa apresenta problemas para se manter viável hoje em dia. "Saúde é um problema nacional. Quando o PSF foi criado, o governo federal bancava R$ 9.600,00. Hoje, ele paga R$ 10 mil e o custo total é de R$ 56 mil. A prefeitura que banca isso, o que se tornou inviável. A situação da Saúde também era de abandono e reformamos trinta postos, além de construir outros onze. Focamos nos que estavam em casas alugadas, que não tinham condições de funcionamento. Nossa meta é continuar construindo, em especial, na parte alta da cidade ". 

Na área de mobilidade urbana, Rui palmeira lembrou o que já foi feito e disse que uma aposta para melhorar o trânsito é o Transporte Rápido por Ônibus (BRT). Com a faixa azul, o tempo em que as pessoas passam nos coletivos foi reduzido e a velocidade dos ônibus dobrou, segundo o candidato. Também foi enviado um projeto para duplicação da Via Expressa com um BRT, mas "o recurso federal nunca chegou". "O VLT seria uma boa saída, mas não acredito nisso agora, devido a essa crise econômica do país. O BRT pode ser uma solução mais barata". 

Sobre as línguas sujas, Rui Palmeira falou sobre o projeto da orla marítima, lembrou dois projetos para o Riacho Salgadinho e informou haver um para o artesanato local. 

"Estamos com uma obra importante na orla e já conseguimos a tubulação. Temos duas estações funcionando, duas em construção e mais seis licitadas. Com isso vamos conseguir ter o trecho da Pajuçara à Jatiúca livre das línguas sujas. Quanto ao Salgadinho, não vou dizer que vou despoluí-lo, como muita gente já fez, mas temos dois projetos inovadores: um deles é o jardim flutuante, onde plantas vão fazer a filtragem da água, e a construção de barragens. Também estamos construindo um centro pesqueiro no Jaraguá e a obra será belíssima. Nossa ideia é usar aquele galpão que está inativo e montar um centro de artesanato, como foi feito no Recife. A primeira etapa da obra do Centro já deve ser entregue em novembro, e pretendemos fazer isso no futuro", reforçou. 

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247