Rui e Almeida participam do 1º debate

Antes do enfrentamento definitivo nas urnas, os candidatos que disputam o segundo turno das eleições para a prefeitura de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) e Cícero Almeida (PMDB), tiveram o primeiro enfrentamento durante debate realizado pela TV Pajuçara, da Rede Record; entre discussões sobre propostas e respostas às perguntas, ambos trocaram acusações

Antes do enfrentamento definitivo nas urnas, os candidatos que disputam o segundo turno das eleições para a prefeitura de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) e Cícero Almeida (PMDB), tiveram o primeiro enfrentamento durante debate realizado pela TV Pajuçara, da Rede Record; entre discussões sobre propostas e respostas às perguntas, ambos trocaram acusações
Antes do enfrentamento definitivo nas urnas, os candidatos que disputam o segundo turno das eleições para a prefeitura de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) e Cícero Almeida (PMDB), tiveram o primeiro enfrentamento durante debate realizado pela TV Pajuçara, da Rede Record; entre discussões sobre propostas e respostas às perguntas, ambos trocaram acusações (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 -  Os candidatos que disputam o segundo turno das eleições para a prefeitura de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) e Cícero Almeida (PMDB), participaram, nesta terça-feira (18), do debate realizado pela TV Pajuçara. E, claro, trocaram farpas e fartas acusações.

1º bloco - Rui e Almeida fizeram perguntas entre si e trocaram farpas nas respostas, especialmente quando trataram sobre obras na capital. Fazendo menção ao jingle utilizado no segundo turno, Cícero Almeida destacou obras feitas, disparando para Rui “A rua que você nasceu, foi eu que fiz”, disse.

Nova polêmica foi registrada  quando Rui respondeu sobre planos para ser candidato ao governo do Estado. E também quando respondeu sobre ter fechado postos de saúde em sua gestão, Rui rebateu Almeida dizendo que não fechou a maternidade Denilma Bulhões, dizendo ser uma determinação do Ministério da Saúde. Ele se defendeu afirmando que aumentou os leitos materno infantis e acusou o governador de prejudicar as gestantes. "Se alguém está prejudicando às gestantes e as pessoas que precisam é o seu amigo, seu parceiro, seu irmão, o governador Renan Filho. Ele inaugurou a Santa Mônica e lá tem 50 leitos fechados", disparou.  

2º bloco - os candidatos responderam perguntas feitas por jornalistas do grupo Pajuçara. Sobre obras Cícero Almeida respondeu falando sobre aquelas feitas em sua gestão, como o saneamento básico na capital. Ele negou que houve maquiagem nas obras em sua gestão. “A população de Maceió se orgulha com o trabalho que fizemos, hoje é penalizada pelos serviços entregues pela prefeitura. Estou muito feliz com o que fiz, agi de forma respeitosa e a sociedade vai analisar a minha resposta. Não tem maquiagem não, tem trabalho sério”, afirmou.

Já Rui Palmeira rebateu e questionou a qualidade das obras realizadas na gestão de Almeida. “Foi Cícero que fez a única obra descartável do país [referindo-se a Avenida Pierre Chalita]. Nós vamos mudar isso. Os grandes projetos que temos, vamos investir em saneamento básico na capital”, garantiu.

Quanto questionado sobre o funcionalismo público, Rui disse que criou uma mesa de negociação com os servidores e que a crise econômica trouxe “tempos difíceis para a arrecadação”. “Claro que podemos fazer mais pelos servidores, também estamos reformando os equipamentos públicos. Diferente do governador, que é reajuste zero ao servidor, nós ainda conseguimos conceder reajuste, mas como já disse, estamos melhorando os equipamentos onde os servidores trabalham”, disse.

Almeida rebateu afirmando que os servidores estão insatisfeitos com a atual gestão, justificando que fez o que pode enquanto esteve prefeito da cidade.

Quando questionado sobre a colocação de pardais e a relação com o alto número de acidentes de trânsito, Cícero Almeida respondeu que quando assumiu a prefeitura havia uma “fábrica de multas” e que descarta a colocação dos radares caso seja eleito prefeito.

“Não concordo com a forma como a SMTT trabalha, a licitação feita pela atual gestão está suspeita pelo Tribunal de Contas. A população não concorda e não deve ser penalizada. Confesso que não colocaria e temos outros mecanismos para fiscalizar o trânsito e evitar acidentes”, respondeu.

Rui falou que os radares eram necessários para controlar a velocidade das principais avenidas. Ele afirmou não haver “indústrias de multas”, dizendo também que não há pardais escondidos.

Sobre saúde pública, realizações e o que precisa ser melhorado, Rui respondeu que vem se esforçando para manter o serviço e justificou que a saúde pública é um problema em todas as capitais do país. “Há um problema, pois o governo federal vem reduzindo os repasses. Houve uma inversão de quem paga a conta. O maior problema de Maceió é a atenção básica. Com os pés nos chão queremos chegar a 60% da Atenção básica nos próximos quatro anos”, disse.

Almeida rebateu dizendo que em sua gestão foram construídos os maiores postos de saúde da capital. Ele concordou que o Governo Federal precisa fazer mais pelos municípios, mas afirmou que o gestor precisa garantir o serviço de qualidade a população.

3º bloco - Foi destinado às considerações finais, Rui Palmeira falou sobre as propostas apresentadas durante a campanha e das obras realizadas, mesmo com dificuldades para arrecadação financeira. “Abrimos as UPAs, fizemos a faixa azul, a licitação de ônibus. [...] Venho sendo vítima de injúria, mas isso não me amedronta. Já passei pela ALE, sempre de cabeça erguida, e quero contar com seu voto”, finalizou.

Almeida agradeceu aos votos obtidos no primeiro turno e também pela recepção da população durante as ações de campanha e convocou os eleitores para votar. “Quero continuar sendo o prefeito do concreto, quero cuidar do taxista, do ambulante, quero cuidar de você, conectar a Maceió, com todos os anseios. Nossa missão é trabalhar com responsabilidade, lutar para resgatar a auto-estima do alagoano”, completou.

Com cadaminuto.com.br

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247