Rui Falcão: 'não há acordo' em favor de Cunha

Em Salvador, onde o ex-presidente Lula participa de ato em defesa do PT nesta quinta-feira, o presidente do partido, Rui Falcão, voltou a negar que o Planalto esteja em busca de acordo para livrar Eduardo Cunha de possível processo de cassação do mandato em troca de ele não dar andamento aos pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramitam na Câmara;"Não há qualquer acordo para barrar investigação"; sobre a CPI da Petrobras, Falcão avaliou como "fato mais positivo" a declaração de Cunha de que ele não tinha nenhuma conta bancária no exterior e não possuía dinheiro nem bens além do que declarou à Justiça Eleitoral, o que está desmentido com denúncia do Ministério Público da Suíça

Em Salvador, onde o ex-presidente Lula participa de ato em defesa do PT nesta quinta-feira, o presidente do partido, Rui Falcão, voltou a negar que o Planalto esteja em busca de acordo para livrar Eduardo Cunha de possível processo de cassação do mandato em troca de ele não dar andamento aos pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramitam na Câmara;"Não há qualquer acordo para barrar investigação"; sobre a CPI da Petrobras, Falcão avaliou como "fato mais positivo" a declaração de Cunha de que ele não tinha nenhuma conta bancária no exterior e não possuía dinheiro nem bens além do que declarou à Justiça Eleitoral, o que está desmentido com denúncia do Ministério Público da Suíça
Em Salvador, onde o ex-presidente Lula participa de ato em defesa do PT nesta quinta-feira, o presidente do partido, Rui Falcão, voltou a negar que o Planalto esteja em busca de acordo para livrar Eduardo Cunha de possível processo de cassação do mandato em troca de ele não dar andamento aos pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramitam na Câmara;"Não há qualquer acordo para barrar investigação"; sobre a CPI da Petrobras, Falcão avaliou como "fato mais positivo" a declaração de Cunha de que ele não tinha nenhuma conta bancária no exterior e não possuía dinheiro nem bens além do que declarou à Justiça Eleitoral, o que está desmentido com denúncia do Ministério Público da Suíça (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Em Salvador, onde o ex-presidente Lula participa de ato em defesa do PT, nesta quinta-feira (22), o presidente do partido, Rui Falcão, voltou a negar que o Planalto e o PT estejam em busca de acordo para livrar Eduardo Cunha (PMDB-RJ) de possível processo de cassação do mandato em troca de o presidente da Câmara dos Deputados não dar andamento aos pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramitam na Casa."Não há qualquer acordo para barrar investigação", disse Falcão.

O presidente do PT comentou ainda o resultado da CPI da Petrobras, que acabou sem indiciar nenhum político, e avaliou como "fato mais positivo" da comissão foi a declaração de Cunha de que ele não tinha nenhuma conta bancária no exterior e não possuía dinheiro nem bens além do que ele declarou à Justiça Eleitoral.

"A CPI produziu só um resultado mais concreto, que eles não estão querendo divulgar, que foi o lugar onde o deputado Eduardo Cunha disse voluntariamente que não tinha conta no exterior".

Rui Falcão também negou mais uma vez que a campanha de Lula em 2006 tenha recebido recursos ilegais. "Toda a nossa arrecadação é feita de transações bancárias legais, registradas na Justiça Eleitoral. É mais uma delação sem provas, com o intuito de nos criminalizar, de dizer que nossas doações vêm de dutos de propinas e as dos outros candidatos saem da casa da moeda", disse o presidente do PT.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247