Saiba quem são os deputados alagoanos cúmplices da corrupção

A vergonhosa vitória do presidente Michel Temer (PMDB), na Câmara dos Deputados, contou com o apoio de 4 deputados federais alagoanos; numa votação que decepcionou os brasileiros, disseram sim ao arquivamento da denúncia de corrupção passiva feito pela Procuradoria Geral da República, Arthur Lira (PP), Cícero Almeida (PMDB), os ministros Marx Beltrão (PMDB) e Maurício Quintella (PR), além do tucano Pedro Vilela que não compareceu a sessão, o que beneficiou o presidente denunciado

A vergonhosa vitória do presidente Michel Temer (PMDB), na Câmara dos Deputados, contou com o apoio de 4 deputados federais alagoanos; numa votação que decepcionou os brasileiros, disseram sim ao arquivamento da denúncia de corrupção passiva feito pela Procuradoria Geral da República, Arthur Lira (PP), Cícero Almeida (PMDB), os ministros Marx Beltrão (PMDB) e Maurício Quintella (PR), além do tucano Pedro Vilela que não compareceu a sessão, o que beneficiou o presidente denunciado
A vergonhosa vitória do presidente Michel Temer (PMDB), na Câmara dos Deputados, contou com o apoio de 4 deputados federais alagoanos; numa votação que decepcionou os brasileiros, disseram sim ao arquivamento da denúncia de corrupção passiva feito pela Procuradoria Geral da República, Arthur Lira (PP), Cícero Almeida (PMDB), os ministros Marx Beltrão (PMDB) e Maurício Quintella (PR), além do tucano Pedro Vilela que não compareceu a sessão, o que beneficiou o presidente denunciado (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas 247 - Os deputados que compõe a bancada federal alagoana ficaram divididos na votação, na noite desta quarta-feira (2), pela rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva. Ao todo, foram quatro votos contra e quatro a favor pelo arquivamento da matéria. O deputado Pedro Vilela (PSDB) não compareceu à sessão. 

Os parlamentares Arthur Lira (PP), Cícero Almeida (PMDB), além dos ministros Marx Beltrão (PMDB) e Maurício Quintella (PR) votaram a favor do relatório da CCJ, que recomendava a rejeição da denúncia da PGR. 

Por sua vez, os deputados Givaldo Carimbão (PHS), João Henrique Caldas - JHC (PSB), Paulão (PT) e Ronaldo Lessa (PDT) votaram contra o relatório (a favor, portanto, do prosseguimento da denúncia). 

No entanto, a votação total no plenário da Câmara aprovou o relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), de autoria do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que recomendava a rejeição da denúncia da Procuradoria Geral da República por crime de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer.

No total, votaram 492 dos 513 deputados - 263 a favor do relatório e 227 contra. Houve duas abstenções e 19 ausências - com base no regimento da Câmara, o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) não votou. 

Com a decisão, os deputados livraram Temer de responder no Supremo Tribunal Federal (STF) a processo que, se instalado, provocaria o afastamento do presidente por até 180 dias. Agora, Temer responderá no STF somente após a conclusão do mandato, em 31 de dezembro de 2018. O procurador-geral Rodrigo Janot, porém, deverá apresentar outra denúncia contra Temer, por organização criminosa e obstrução de justiça.

A acusação de Janot se baseia nas investigações abertas a partir das delações de executivos da empresa JBS no âmbito da Operação Lava Jato. Em março deste ano, o ex-assessor do presidente e ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) foi filmado, saindo de um restaurante em São Paulo, com uma mala contendo R$ 500 mil. Segundo a PGR, o dinheiro era parte de propina e destinava-se a Temer. A defesa do presidente nega.

Confira como votou a bancada alagoana: 

Arthur Lira (PP) - SIM

Cícero Almeida (PMDB) - SIM

Givaldo Carimbão (PHS) - NÃO

JHC (PSB) - NÃO

Marx Beltrão (PMDB) - SIM

Maurício Quintella (PR)- SIM

Paulão (PT) - NÃO

Pedro Vilela (PSDB) - AUSENTE

Ronaldo Lessa (PDT) – NÃO

Com gazetaweb.com

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247