‘Salário de servidores, na melhor das hipóteses vai atrasar vários meses’

O prefeito Nelson Marchezan Jr. (PSDB) fez uma apresentação sobre os 100 primeiros dias de sua gestão no Paço Municipal, que serão completados na próxima segunda-feira (10); ao começar a apresentação, separada por “focos”, disse que o “trabalho exaustivo” foi a principal marca do governo até aqui; questionado sobre a possibilidade de atraso salarial dos servidores e quando viria, voltou a afirmar que o déficit atual nas finanças municipais indica que, se nada for feito, faltarão recursos para cinco folhas de pagamento; “O salário, na melhor das hipóteses, vai atrasar vários meses. Se não fizermos nada, vamos ficar meses sem receber”, disse

07/04/2017 - PORTO ALEGRE, RS - Coletiva de 100 Dias de Governo Marchezan. Foto: Maia Rubim/Sul21
07/04/2017 - PORTO ALEGRE, RS - Coletiva de 100 Dias de Governo Marchezan. Foto: Maia Rubim/Sul21 (Foto: Leonardo Lucena)

Luís Eduardo Gomes, Sul 21 - O prefeito Nelson Marchezan Jr. (PSDB) fez na manhã desta sexta-feira (7) uma apresentação sobre os 100 primeiros dias de sua gestão no Paço Municipal, que serão completados na próxima segunda-feira (10). Antes de iniciar sua fala, ele fez uma “selfie” com os jornalistas que acompanhavam a coletiva em razão do Dia do Jornalista. Também usou a imprensa para justificar o evento, dizendo que os 100 dias eram um marco temporal utilizado pelos veículos de comunicação e que estava se antecipando a isso. Ao começar a apresentação, separada por “focos”, disse que o “trabalho exaustivo” foi a principal marca do governo até aqui e que o vice-prefeito Gustavam Paim (PP) foi essencial para completar os 100 dias “psicologicamente saudável”.

Gestão

O primeiro item apresentado pelo prefeito foi a gestão, em que salientou a reforma administrativa – diminuiu de 37 para 15 as secretarias -, argumentando que, em seu governo, nenhum órgão terá “dono” ou trabalhará de forma independente, sem, no entanto, explicar a que problemas de gestões passadas se referia. Defendeu o banco de talentos como uma iniciativa de sucesso, em que 9.083 pessoas enviaram currículos, 808 foram entrevistadas e 310 contratadas. Afirmou que o corte de 340 cargos em comissão gerará uma economia de R$ 42 milhões ao mês, que a imposição do teto de remuneração para CCs, em R$ 9,2 mil, gera uma economia de R$ 1 milhão ao mês e salientou a recém-anunciada imposição do teto salarial do prefeito (R$ 19.477,40) para a administração direta – sem informar a economia que isso gera.

Saúde

O segundo ponto apresentado pelo prefeito foi o “foco no paciente”, em que salientou que começou a cumprir a promessa de campanha de abrir postos de saúde até às 22h pela Unidade Básica de Saúde São Carlos, no bairro Partenon. Afirmou também que a Prefeitura convocou 46 médicos para completar as equipes de saúde da família e, com isso, garantir que todas elas estejam completas com médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, dentistas e agentes comunitários de saúde. Disse também que a Prefeitura está apostando em tecnologias para qualificar o atendimento de saúde, agilizar a marcação de consultas e eliminar o uso de fichas no sistema. Sem citar o nome, reconheceu que adotou a proposta de campanha de Luciana Genro (PSOL) de firmar parceria com o TelessaúdeRS/UFRGS para dar maior eficiência, maior índice de resolutividade e agilidade aos atendimentos – foi buscar no Telessaúde o secretário da área, Erno Harzheim.

Educação

No item seguinte, defendeu a nova reorganização dos horários das escolas municipais, que tem gerado um impasse com os professores da rede – muitas escolas se recusaram a adotar as mudanças -, afirmando: “fizemos uma pequena e revolucionária mudança”. O impasse com os servidores foi ignorado pelo prefeito na apresentação desta sexta.

Segurança

Nesta área, salientou a parceria feita com empresários para a recuperação de mais de 100 viaturas da Brigada Militar de Porto Alegre, as iniciativas para aumentar o monitoramento da cidade por meio de câmeras de vigilância, com a entrada em operação do cercamento eletrônico da Redação, e do sistema de reconhecimento de placas por meio de pardais para monitorar a circulação de veículos roubados, outra promessa de campanha. Segundo o prefeito, este sistema já está sendo testado e, nesta quinta-feira (6), foi a feita a primeira recuperação de um carro pela Polícia Rodoviária Federal a partir deste monitoramento.

Mobilidade

Na área de mobilidade, Marchezan salientou o início dos testes para o pagamento de ônibus e lotações diretamente com cartão de débito e crédito, o mesmo no Trensurb, o início dos testes para o reconhecimento fácil de usuários do transporte público, o que ele espera trazer maior segurança, e o início da instalação do GPS nas frotas. Segundo ele, até o final do ano, essas duas tecnologias estarão completamente integradas aos coletivos. Destacou também a regulamentação do transporte motorizado privado (como Uber e Cabify), dizendo, porém, que deve encaminhar um projeto para a Câmara de Vereadores para corrigir “dois ou três problemas”. Ainda ponderou que a Prefeitura tem trabalho para aumentar a transparência do sistema de transporte coletivo, salientando que assumiu a gestão da bilhetagem eletrônica e, em breve, terá acesso a conta bancária com receitas e despesas das empresas – uma bandeira antiga da oposição, especialmente do PSOL, durante a gestão Fortunati.

Cidadania

Neste momento, destacou que a Prefeitura está fazendo um enfrentamento ao comércio irregular no Centro da cidade, mas que antes fez uma feira para legalizar a situação dos ambulantes e qualificá-los para exercer outras atividades, da qual 3,8 mil pessoas participaram. Disse que foi renovado o contrato de colaboração com o BNDES que garantiu R$ 5 milhões para obras em unidades de triagem de lixo, entre outros equipamentos, para melhorar a situação dos carroceiros e carrinheiros, fazendo também um apelo para que a população contribua na separação o lixo para que essas pessoas tenham mais renda. Marchezan disse que, nos próximos dias, iniciará também um trabalho junto aos moradores em situação de rua, em que eles serão identificados e lhes serão ofertadas alternativas de acordo com seus problemas individuais antes de serem removidos.

Sustentabilidade

Salientou que a Prefeitura tem buscado parceiros na iniciativa privada para que feiras e eventos público, que não terão mais recursos públicos investidos, possam ocorrer de forma sustentável.

Tecnologia

Por meio de todos os seus pontos, Marchezan destacou que a Prefeitura tem trabalhado forte na questão da tecnologia e da inovação, salientando especialmente o fato de ter sido lançado o aplicativo #EuFaçoPoa, em que pretende agrupar a maior parte dos serviços públicos municipais. Afirmou ainda que emitiu um decreto para permitir que qualquer aplicativo desenvolvido para melhorar a cidade possa ser testado e que foi criado um espaço chamado POA Hub para que projetos inovadores para a cidade possam ser originados.

Questionamentos

A apresentação de Marchezan ainda destacou projetos na área da Cultura e a requalificação de vias e espaços públicos. Quando o evento foi aberto a perguntas, a primeira foi justamente sobre as reclamações a respeito da sujeira e da falta de capina na cidade. O prefeito reconheceu o problema e o justificou argumentando que existe por causa de falta de recursos e pela falta de pagamento, desde a gestão passada, de prestadoras de serviço. Disse também que o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) está sendo reestruturado para que problemas sejam resolvidos e que o órgão possa oferecer melhores serviços na área.

Questionado sobre a possibilidade de atraso salarial dos servidores e quando viria, voltou a afirmar que o déficit atual nas finanças municipais indica que, se nada for feito, faltarão recursos para cinco folhas de pagamento. “O salário, na melhor das hipóteses, vai atrasar vários meses. Se não fizermos nada, vamos ficar meses sem receber”, disse.

Sobre o transporte coletivo, afirmou que o sistema atual é “atrasado, caro e está fadado a fracassar”. Destacou que, com investimentos em segurança e conforto, espera que novos usuários sejam atraídos ao sistema – a queda no número de passageiros é apontada como um dos principais fatores do encarecimento das tarifas. Questionado, porém, se pretendia atacar o problema com obras de mobilidade urbana e mudanças estruturais no trânsito da cidade, disse que o foco será terminar as obras da Copa e que espera que isso “dê uma melhorada” no aumento da velocidade média dos coletivos. Quanto a áreas que não são atingidas pelas obras, respondeu que alternativas estão sendo estudadas, sem especificar quais.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247