Samarco assina acordo de R$ 61 milhões com documento que pode ser falso

O acordo homologado pelo juiz da 7a. Vara Cível de Belo Horizonte que autoriza a Samarco a pagar 61 milhões de reais à lobista Andrea Cássia Vieira de Souza tem como base um documento que parece falso; leia a íntegra no DCM

O acordo homologado pelo juiz da 7a. Vara Cível de Belo Horizonte que autoriza a Samarco a pagar 61 milhões de reais à lobista Andrea Cássia Vieira de Souza tem como base um documento que parece falso; leia a íntegra no DCM
O acordo homologado pelo juiz da 7a. Vara Cível de Belo Horizonte que autoriza a Samarco a pagar 61 milhões de reais à lobista Andrea Cássia Vieira de Souza tem como base um documento que parece falso; leia a íntegra no DCM (Foto: Leonardo Attuch)

Por Joaquim de Carvalho, no DCM

O acordo homologado pelo juiz da 7a. Vara Cível de Belo Horizonte que autoriza a Samarco a pagar 61 milhões de reais à lobista Andrea Cássia Vieira de Souza tem como base um documento que parece falso.

Andrea juntou na ação em que cobra a comissão da Samarco um ofício do então diretor financeiro da Escelsa, Sérgio Pereira Pires, com uma assinatura que é diferente daquela que ele usa em outros documentos, como, por exemplo, um contrato de concessão de energia encontrado nos arquivos da Aneel, a agência reguladora de energia.

Sérgio Pereira Pires foi diretor da Escelsa até 2008, na gestão de António Eduardo da Silva Oliva. O ofício juntado ao processo, assinado apenas por ele com data de 23 de maio de 2000, é dirigido ao governador do Estado do Espírito Santo.

Leia a íntegra no DCM.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247