Sartori recua e descarta ceder PMs para a Rio 2016

O governador José Ivo Sartori (PMDB) recuou e anunciou que o Estado não irá mais ceder policiais militares para atuar nos Jogos Olímpicos deste ano no Rio de Janeiro; segundo o chefe do executivo gaúcho, a cedência só ocorreria se fossem deslocados policiais militares que exercem funções na área administrativa; “O estudo técnico que me foi apresentado hoje (nesta quinta) mostra que isso não é possível. Não temos como autorizar a retirada de nenhum policial da atividade de rua. Nossa prioridade absoluta é a segurança da população do RS”, afirmou

O governador José Ivo Sartori (PMDB) recuou e anunciou que o Estado não irá mais ceder policiais militares para atuar nos Jogos Olímpicos deste ano no Rio de Janeiro; segundo o chefe do executivo gaúcho, a cedência só ocorreria se fossem deslocados policiais militares que exercem funções na área administrativa; “O estudo técnico que me foi apresentado hoje (nesta quinta) mostra que isso não é possível. Não temos como autorizar a retirada de nenhum policial da atividade de rua. Nossa prioridade absoluta é a segurança da população do RS”, afirmou
O governador José Ivo Sartori (PMDB) recuou e anunciou que o Estado não irá mais ceder policiais militares para atuar nos Jogos Olímpicos deste ano no Rio de Janeiro; segundo o chefe do executivo gaúcho, a cedência só ocorreria se fossem deslocados policiais militares que exercem funções na área administrativa; “O estudo técnico que me foi apresentado hoje (nesta quinta) mostra que isso não é possível. Não temos como autorizar a retirada de nenhum policial da atividade de rua. Nossa prioridade absoluta é a segurança da população do RS”, afirmou (Foto: Leonardo Lucena)

Sul 21 - O governador José Ivo Sartori (PMDB) recuou e anunciou nesta quinta-feira (18) que o Estado não irá mais ceder policiais militares para atuar nos Jogos Olímpicos deste ano no Rio de Janeiro. Segundo o governador, a cedência só ocorreria se fossem deslocados policiais militares que exercem funções na área administrativa.

“O estudo técnico que me foi apresentado hoje (nesta quinta) mostra que isso não é possível. Não temos como autorizar a retirada de nenhum policial da atividade de rua. Nossa prioridade absoluta é a segurança da população do RS”, afirmou.

Por outro lado, Sartori afirmou que a Secretaria da Segurança Pública está empenhada em verificar outras maneiras de o Estado contribuir para o evento.

Em entrevistas a rádios da Capital no início da semana, o governador chegou a confirmar que o Estado cederia policiais e disse que não existia a possibilidade de isso não ocorrer. Em contrapartida, o Rio Grande do Sul receberia armamentos, viaturas, coletes e munição. A declaração vinha repercutindo mal.

Um edital de convocação para policiais que desejavam participar da segurança nos jogos foi publicado no site da Brigada Militar e previa a cessão de 82 profissionais do Estado. O edital também previa que os candidatos deveriam ter cinco anos de experiência profissional em atividade profissional e não poderiam estar afastados a mais de um ano das atividades.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247