“Se tiver 100 votos é muito”, diz vice da Câmara sobre Previdência

Pouco antes da apresentação formal do novo texto da reforma da Previdência a líderes da base em jantar no Palácio da Alvorada, o vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB-MG), afirmou que a proposta não conta nem com um terço dos votos necessários para ser aprovada; "Ninguém vai votar a reforma da Previdência", afirmou Ramalho; "Se tiver 100 votos é muito", acrescentou; por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), são necessários os votos de 308 dos 513 deputados para que a medida seja aprovada na Câmara, em dois turnos de votação

Pouco antes da apresentação formal do novo texto da reforma da Previdência a líderes da base em jantar no Palácio da Alvorada, o vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB-MG), afirmou que a proposta não conta nem com um terço dos votos necessários para ser aprovada; "Ninguém vai votar a reforma da Previdência", afirmou Ramalho; "Se tiver 100 votos é muito", acrescentou; por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), são necessários os votos de 308 dos 513 deputados para que a medida seja aprovada na Câmara, em dois turnos de votação
Pouco antes da apresentação formal do novo texto da reforma da Previdência a líderes da base em jantar no Palácio da Alvorada, o vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB-MG), afirmou que a proposta não conta nem com um terço dos votos necessários para ser aprovada; "Ninguém vai votar a reforma da Previdência", afirmou Ramalho; "Se tiver 100 votos é muito", acrescentou; por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), são necessários os votos de 308 dos 513 deputados para que a medida seja aprovada na Câmara, em dois turnos de votação (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BRASÍLIA (Reuters) - Pouco antes da apresentação formal do novo texto da reforma da Previdência a líderes da base em jantar no Palácio da Alvorada, o vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB-MG), afirmou que a proposta não conta nem com um terço dos votos necessários para ser aprovada.

O deputado relatou que em conversas com colegas, a grande maioria deles expressa dificuldade em votar o texto, flexibilizado pelo governo na tentativa de facilitar sua aprovação.

"Ninguém vai votar a reforma da Previdência", afirmou. "Se tiver 100 votos é muito", acrescentou. Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), são necessários os votos de 308 dos 513 deputados para que a medida seja aprovada na Câmara, em dois turnos de votação.

O deputado fez questão de dizer que se dependesse dele, a reforma iria a voto, mas admitiu que o cenário é desfavorável ao governo.

Líderes da base devem participar, na noite desta quarta-feira, de um jantar com o presidente Michel Temer no Palácio da Alvorada, ocasião em que será formalmente apresentada a versão enxuta da reforma da Previdência.

Para tornar a medida mais palatável, o novo texto deverá manter a idade mínima, a regra de transição e irá combater o que vem sendo chamado nas campanhas governamentais de "privilégios" dos que ganham mais.

Se for aprovada pela Câmara, a reforma ainda precisa passar pelo Senado, onde precisará dos votos de 49 dos 81 senadores, também em dois turnos de votação.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247