Seca gera um prejuízo de R$ 856 mi no Estado

Ao todo, 1.164.807 de pessoas em 113 municípios (do Agreste e do Sertão) foram afetadas pela estiagem em Pernambuco; para enfrentar essa situação, o Estado está investindo R$ 514 milhões em ações em parceria com o Governo Federal

Seca gera um prejuízo de R$ 856 mi no Estado
Seca gera um prejuízo de R$ 856 mi no Estado (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Leonardo Lucena _PE247 – A Região Nordeste passa pela maior seca de sua história nos últimos 30 anos. E em Pernambuco não é diferente, pois 113 municípios foram afetados pela estiagem, sendo 56 no Sertão, 58 no Agreste e quatro na Zona da Mata. Ao todo, R$ 514 milhões estão sendo investidos para diminuir os efeitos desta problemática, que deixou um prejuízo na ordem de R$ 856 milhões e atingiu 1.164.807 de pessoas em todo o Estado.

Dessa forma, o governo estadual já antecipou R$ 4 milhões destinados ao pagamento do benefício do programa Garantia Safra para 122 mil agricultores aderidos e já foram liberados R$ 36 milhões até o momento, para a operação 678 dos 846 carros-pipa. Essas são apenas algumas medidas entre várias outras em parceria com o Governo Federal.

Dentre as ações recentes, destacam-se as que estão sendo concretizadas em apoio à Bacia Leiteira. O Estado decidiu aumentar o preço do litro de leito pago ao produtor, passando de R$ 0,76 para R$ 1,00 (leite de vaca) e de R$ 1,30 para R$ 1,60 (leite de cabra). De acordo com dados da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro-PE), levando em consideração perdas na produção do alimento de janeiro a maio, houve um prejuízo estimado em R$ 5 milhões no Sertão e de R$ 27 milhões no Agreste.

Outro setor que sofreu forte impacto da seca foi o da criação de gados. Ainda com base nas informações da Adagro, nas regiões Sertão e Agreste, o prejuízo foi de R$ 824 milhões, sendo R$ 761 milhões em relação ao rebanho de bovinos e R$ 63 milhões quanto ao de caprinos (bodes e cabras) e ovinos (carneiros e ovelhas).

Como o milho é a principal fonte de energia dos gados, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) informou que executa o Programa Vendas em Balcão, com o objetivo de subsidiar a compra a aquisição do alimento por parte dos produtores. Além disso, a Administração Estadual autorizou a aração (processo que deixa terra mais fértil, menos compacta) de 43 mil hectares de terra destinados ao plantio deste alimento.

Em uma parceria com o órgão, o governo está negociando um subsídio para que os criadores comprem 60 quilos de milho por um valor de R$ 18,10, enquanto que o valor de mercado sai por R$ 30,00. A armazenagem das toneladas será no Ceasa e no Instituto Agronômico e Pernambuco (IPA-PE). E, como parte do Programa Água para Todos, cerca de R$ 168 milhões estão liberados aos poucos pelo Governo Federal para a implantação de 1.175 cisternas de abastecimento de água e a construção de 440 barragens.

Além disso, canalizar as queixas da população quanto aos problemas causados pela estiagem ou oferecer esclarecimentos, o governo criou uma linha telefônica gratuita (0800 281 2090), serviço disponibilizado pelo Comitê Integrado de Combate à Seca, das 7h às 19h. Também está disponível o contato online, através do site www.agricultura.pe.gov.br/operacaoseca, ou, ainda, pelo email [email protected]

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email