Secom entrega ao MPE cópia de licitação de agências

Secretaria de Comunicação Social do Estado protocolou no Ministério Público Federal cópia do processo licitatório de 2015 que contempla cinco agências publicitárias e valores pagos em publicidade nos anos de 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016; no último dia 16 de junho o MPE instaurou inquéritos civis para investigar os gastos com publicidade realizados pelo governo e pelo município de Palmas e solicitou informações às secretarias responsáveis; "Esta gestão está registrando, proporcionalmente, os menores investimentos em publicidade da história do Tocantins. Em um comparativo entre o ano de 2012, quando foram gastos R$ 20 milhões, e o ano de 2015, quando foram investidos cerca de R$ 7 milhões, pode-se constatar a melhor gestão do dinheiro público", diz a Secom em nota

Secretaria de Comunicação Social do Estado protocolou no Ministério Público Federal cópia do processo licitatório de 2015 que contempla cinco agências publicitárias e valores pagos em publicidade nos anos de 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016; no último dia 16 de junho o MPE instaurou inquéritos civis para investigar os gastos com publicidade realizados pelo governo e pelo município de Palmas e solicitou informações às secretarias responsáveis; "Esta gestão está registrando, proporcionalmente, os menores investimentos em publicidade da história do Tocantins. Em um comparativo entre o ano de 2012, quando foram gastos R$ 20 milhões, e o ano de 2015, quando foram investidos cerca de R$ 7 milhões, pode-se constatar a melhor gestão do dinheiro público", diz a Secom em nota
Secretaria de Comunicação Social do Estado protocolou no Ministério Público Federal cópia do processo licitatório de 2015 que contempla cinco agências publicitárias e valores pagos em publicidade nos anos de 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016; no último dia 16 de junho o MPE instaurou inquéritos civis para investigar os gastos com publicidade realizados pelo governo e pelo município de Palmas e solicitou informações às secretarias responsáveis; "Esta gestão está registrando, proporcionalmente, os menores investimentos em publicidade da história do Tocantins. Em um comparativo entre o ano de 2012, quando foram gastos R$ 20 milhões, e o ano de 2015, quando foram investidos cerca de R$ 7 milhões, pode-se constatar a melhor gestão do dinheiro público", diz a Secom em nota (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - Em nota enviada à imprensa, a Secretaria de Estado da Comunicação Social afirma que atendeu na tarde de ontem, 1º, solicitação do Ministério Público Estadual (MPE) a respeito do volume de gastos com publicidade realizados pelo governo do Estado.

No último dia 16 de junho o MPE instaurou inquéritos civis para investigar os gastos com publicidade realizados pelo governo e pelo município de Palmas e solicitou informações às secretarias responsáveis. O órgão aponta que os gastos poderiam estar resultando em suposto prejuízo a serviços públicos essenciais, como nas áreas de saúde, educação e assistência social (leia mais).

Conforme a Secom, a documentação protocolada no MPE se trata de uma cópia do processo licitatório de 2015 que contempla cinco agências publicitárias e valores pagos em publicidade nos anos de 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016.

O MPE questiona contrato firmado pelo governo do Estado em março deste ano, que prevê gasto anual na ordem de R$ 41 milhões com serviços de publicidade. "Vale destacar que uma coisa é a previsão orçamentária; outra, os contratos firmados com as agências; e, outra, o que de fato foi executado", aponta a Secom na nota.

"Ainda assim, o Governo do Tocantins esclarece que esta gestão está registrando, proporcionalmente, os menores investimentos em publicidade da história do Tocantins. Em um comparativo entre o ano de 2012, quando foram gastos R$ 20 milhões, e o ano de 2015, quando foram investidos cerca de R$ 7 milhões, pode-se constatar a melhor gestão do dinheiro público", finaliza a Secretaria de Comunicação.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247