Secretário acusado de assédio sexual pede exoneração

O secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Almiro Sena, Almiro Sena, pediu exoneração do cargo há pouco; ele é acusado de assédio sexual e moral contra servidoras da pasta e nega as acusações dizendo que é "vítima" de "armação"; "A respeito das alegações levianas e covardes acerca de suposto assédio sexual e moral, praticado por mim, só tenho a afirmar que jamais pratiquei, pratico ou praticarei atos dessa natureza"

O secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Almiro Sena, Almiro Sena, pediu exoneração do cargo há pouco; ele é acusado de assédio sexual e moral contra servidoras da pasta e nega as acusações dizendo que é "vítima" de "armação"; "A respeito das alegações levianas e covardes acerca de suposto assédio sexual e moral, praticado por mim, só tenho a afirmar que jamais pratiquei, pratico ou praticarei atos dessa natureza"
O secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Almiro Sena, Almiro Sena, pediu exoneração do cargo há pouco; ele é acusado de assédio sexual e moral contra servidoras da pasta e nega as acusações dizendo que é "vítima" de "armação"; "A respeito das alegações levianas e covardes acerca de suposto assédio sexual e moral, praticado por mim, só tenho a afirmar que jamais pratiquei, pratico ou praticarei atos dessa natureza" (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), Almiro Sena, pediu exoneração do cargo há pouco. Ele é acusado de assédio sexual e moral contra servidoras da pasta.

Almiro Sena é promotor de Justiça licenciado e o Ministério Público do Estado (MPE) já encaminhou pedido de apuração à corregedoria do órgão.

Uma das supostas vítimas descreve como o secretário teria praticado o assédio. "...sendo chamada diversas vezes em seu gabinete, onde foi constrangida pelo então secretário da pasta em seu gabinete... Lá este abraçava, abordava assuntos e atitudes íntimas de maneira continuada, aproveitando o gesto para encostar na perna da servidora seu órgão sexual, além de tentar beijá-la à força".

As denunciantes fizeram "apelo" ao Ministério Público para que "o caso não caia no esquecimento, assim como já aconteceu antes". Almiro Sena nega todas as acusações e diz que é "vítima" de "armação".

"A respeito das alegações levianas e covardes acerca de suposto assédio sexual e moral, praticado por mim, só tenho a afirmar que jamais pratiquei, pratico ou praticarei atos dessa natureza. Não posso imaginar as insidiosas motivações por trás dessas calúnias, difamações e injúrias. Todavia, postulo a imediata apuração dos fatos para que a verdade prevaleça, à luz da lei e da justiça", diz Almiro em nota à imprensa.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247