Secretários citados em delação da JBS não serão afastados, diz Camilo

“Não existe nenhuma denúncia formal, o que existe é um delator criminoso, que fez uma declaração na imprensa, e eu não vou partir para qualquer atitude do meu governo baseado em criminoso que faz delação”, disse o governador Camilo Santana (PT). O requerimento do deputado estadual Heitor Férrer (PSB) pedindo o afastamento de Arialdo Pinho (Turismo) e Antonio Balhmann (Assuntos Internacionais) deve ser votado esta semana, na Assembleia Legislativa

“Não existe nenhuma denúncia formal, o que existe é um delator criminoso, que fez uma declaração na imprensa, e eu não vou partir para qualquer atitude do meu governo baseado em criminoso que faz delação”, disse o governador Camilo Santana (PT). O requerimento do deputado estadual Heitor Férrer (PSB) pedindo o afastamento de Arialdo Pinho (Turismo) e Antonio Balhmann (Assuntos Internacionais) deve ser votado esta semana, na Assembleia Legislativa
“Não existe nenhuma denúncia formal, o que existe é um delator criminoso, que fez uma declaração na imprensa, e eu não vou partir para qualquer atitude do meu governo baseado em criminoso que faz delação”, disse o governador Camilo Santana (PT). O requerimento do deputado estadual Heitor Férrer (PSB) pedindo o afastamento de Arialdo Pinho (Turismo) e Antonio Balhmann (Assuntos Internacionais) deve ser votado esta semana, na Assembleia Legislativa (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará 247 - A votação do requerimento do deputado estadual Heitor Férrer (PSB), pedindo o afastamento dos secretários de Estado citados na delação da JBS deve ser votado esta semana, na Assembleia Legislativa. Arialdo Pinho (secretário de Turismo e na época Chefe da Casa Civil do governo Cid Gomes) e Antonio Balhmann (secretário de Assuntos Internacionais e na época deputado federal) são acusados por Wesley Batista de articularem apoio financeiro de R$ 20 milhões para campanha eleitoral no Ceará.

O governador Camilo Santana, no entanto, voltou a afirmar que não afastará nenhum secretário por que “não existe nenhuma denúncia formal, o que existe é um delator criminoso, que fez uma declaração na imprensa, e eu não vou partir para qualquer atitude do meu governo baseado em criminoso que faz delação”, disse.

(Com informações do Blog do Eliomar)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247