Sede do PT sofre segundo ataque em menos de 24h

Autor do segundo ataque seria o mesmo do primeiro, que ocorreu durante a madrugada; desta vez, o homem identificado como Emilson Chaves da Silva, 38 anos, jogou um coquetel molotov na sede do partido, que fica na região central de São Paulo; após a primeira agressão, ele chegou a ir para a delegacia e foi solto em seguida; o autor do ataque postou em seu Facebook que atacaria novamente a sede do PT; "Crime de ódio", postou o vice-presidente da legenda, Alberto Cantalice

Autor do segundo ataque seria o mesmo do primeiro, que ocorreu durante a madrugada; desta vez, o homem identificado como Emilson Chaves da Silva, 38 anos, jogou um coquetel molotov na sede do partido, que fica na região central de São Paulo; após a primeira agressão, ele chegou a ir para a delegacia e foi solto em seguida; o autor do ataque postou em seu Facebook que atacaria novamente a sede do PT; "Crime de ódio", postou o vice-presidente da legenda, Alberto Cantalice
Autor do segundo ataque seria o mesmo do primeiro, que ocorreu durante a madrugada; desta vez, o homem identificado como Emilson Chaves da Silva, 38 anos, jogou um coquetel molotov na sede do partido, que fica na região central de São Paulo; após a primeira agressão, ele chegou a ir para a delegacia e foi solto em seguida; o autor do ataque postou em seu Facebook que atacaria novamente a sede do PT; "Crime de ódio", postou o vice-presidente da legenda, Alberto Cantalice (Foto: Paulo Emílio)

247 - A sede nacional do PT, em São Paulo, foi alvo de um segundo ataque em menos de 24 horas. O autor teria sido o mesmo homem que, na madrugada desta quinta-feira (30), teria tentado forçar uma porta com uma picareta e quebrado as vidraças do prédio.

Desta vez, porém, o homem identificado como Emilson Chaves da Silva, 38 anos, atirou um coquetel molotov contra o local. Segundo a assessoria do partido, militantes perseguiram e conseguiram deter o agressor.

Quando ocorreu o primeiro ataque, na madrugada, a Polícia Militar foi acionada e o suspeito foi detido e encaminhado ao 8º DP. Após ser autuado por "dano ao patrimônio", ele foi liberado e deverá responder ao inquérito em liberdade.

Em seu perfil no Facebook, Silva confirmou ser o autor do primeiro atentado e ameaçou fazer um novo ataque. "Foi eu que ataque o diretório nacional do partido dos trabalhadores e vou atacar de novo....(sic)", escreveu. Segundo a polícia, ele alegou em seu depoimento que estaria sendo perseguido pelo PT e que o partido faz mal ao país.

Crime de ódio

Em seu site, o Partido dos Trabalhadores definiu o primeiro ataque como "crime de ódio". Notícia publicada na página do partido informa que o presidente da legenda, Rui Falcão, foi pessoalmente ao 1º Distrito Policial de São Paulo (Sé) assinar representação para que o ataque seja investigado.

"O PT está tomando todas as medidas necessárias para apuração e punição ao responsável pela depredação na sede do partido e das ameaças que verbalizou. As medidas serão tomadas nas esferas criminal e cível. Também está sendo solicitado à Polícia Militar um reforço do policiamento no local, com o fim de garantir a segurança dos cidadãos. A PF também será comunicada do fato", diz outro trecho do texto.

O vice-presidente do partido, Alberto Cantalice, disse que "foi um ataque promovido por uma pessoa alimentada pelo ódio diário que parte da mídia e a direita alimentam contra o Partido dos Trabalhadores". "Mas não vão nos intimidar", completou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247