‘Segurança pode vencer Alckmin no palanque’

Para Vera Magalhães, colunista da Folha, ao lançar a proposta para permitir punição mais severa a menores reincidentes em crimes graves, governador de SP eliminou qualquer anteparo entre ele e o problema da violência: "agindo sem intermediários, será cobrado pelo resultado também diretamente"

‘Segurança pode vencer Alckmin no palanque’
‘Segurança pode vencer Alckmin no palanque’

247 – Em ano véspera de eleição, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) parece ter perdido na guerra contra a violência. Para Vera Magalhães, colunista da Folha, tudo indica que a segurança vai mudar de lado no palanque. Leia:

Sem blindagem

SÃO PAULO - Enquanto no Rio a política de segurança pública virou o maior ativo eleitoral do PMDB e o secretário José Mariano Beltrame é disputado por dois partidos, em São Paulo o tema é o maior pesadelo de Geraldo Alckmin para sua reeleição.

Cinco meses depois de trocar Antonio Ferreira Pinto por Fernando Grella no comando da segurança, o governador tomou a frente da área ao lançar a proposta que altera o Estatuto da Criança e do Adolescente para permitir punição mais severa a menores reincidentes em crimes graves.

Trata-se de uma cartada de risco: além de a proposta ser controversa e de haver pouco tempo para que seja votada antes das eleições, Alckmin eliminou qualquer anteparo entre ele e o problema da violência. Agindo sem intermediários, será cobrado pelo resultado também diretamente.

Se em novembro a demissão de Ferreira Pinto parecia ser a única resposta à onda de violência que levou à explosão dos índices de homicídios, seu substituto, elogiado pela propensão ao diálogo, mas longe da figura do "xerife'' dos antecessores, não conseguiu ainda demonstrar que tem o controle das polícias nem ser visto como quem dita a política da pasta --justamente a imagem que transformou Beltrame em estrela.

O fato de o governador ter em sua gaveta uma caderneta em que anota, diariamente, os números de homicídios e latrocínios ilustra a falta de uma estrutura que o preserve da superexposição ao vaivém dos índices.

Em 2010, as críticas dos rivais do PSDB no Estado se concentraram no preço do pedágio nas estradas e na progressão automática no ensino --temas que não "colaram". Alckmin foi eleito no primeiro turno.

Mais: naquela eleição, a redução de números da violência era uma conquista importante do PSDB.

Agora que os índices se deterioraram, tudo indica que a segurança vai mudar de lado no palanque. Ou Alckmin repensa a política para, em 17 meses, sair da linha de frente, ou será o alvo direto dos adversários.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247