Sejus quer evitar motins nos presídios de Fortaleza

Para evitar que os episódios registrados no presídio Anísio Jobim, no Amazonas, se repitam no Ceará, a Secretaria de Justiça do Estado, com o apoio do Ministério Público, promoveu ontem a transferência de lideranças das facções criminosas, entre unidades prisionais da Região Metropolitana de Fortaleza

Para evitar que os episódios registrados no presídio Anísio Jobim, no Amazonas, se repitam no Ceará, a Secretaria de Justiça do Estado, com o apoio do Ministério Público, promoveu ontem a transferência de lideranças das facções criminosas, entre unidades prisionais da Região Metropolitana de Fortaleza
Para evitar que os episódios registrados no presídio Anísio Jobim, no Amazonas, se repitam no Ceará, a Secretaria de Justiça do Estado, com o apoio do Ministério Público, promoveu ontem a transferência de lideranças das facções criminosas, entre unidades prisionais da Região Metropolitana de Fortaleza (Foto: Fatima 247)

Ceará 247 - A Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado realizou ontem a transferência de lideranças das facções criminosas, entre unidades prisionais da Região Metropolitana de Fortaleza, com o objetivo de prevenir conflitos. A medida foi motivada pelos acontecimentos registrados no presídio Anísio Jobim, do Amazonas, em que a disputa entre as facções terminou com 60 mortes. A Sejus quer evitar que o mesmo aconteça no Ceará. O clima de tensão nos presídios aumentou após os conflitos registrados no Amazonas.

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), através do Núcleo de Investigação Criminal (NUINC), acompanhou toda a operação executada. Segundo o  coordenador do NUINC, promotor de Justiça Humberto Ibiapina, a transferência de presos entre unidades prisionais é um procedimento rotineiro. “A operação da Sejus desta terça-feira se diferenciou das realizadas regularmente no que diz respeito à quantidade de presos transferidos. Não havia nenhum indicativo de que as rebeliões registradas no Amazonas trariam alguma consequência nas unidades prisionais do Ceará, mas a medida com certeza é uma precaução significativa para evitar qualquer tipo de conflito entre os presos cearenses neste momento”, explica o membro do MPCE.

A ação envolveu a Unidade Prisional Agente Luciano Andrade Lima, as Casas de Privação Provisória de Liberdade Professor Jucá Neto e Agente Elias Alves da Silva (CPPLs 3 e 4), localizadas em Itaitinga, e a Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, que fica no município de Pacatuba. 

A Sejus informou também que ao longo da semana, assistentes sociais e equipe do Núcleo de Atendimento aos Familiares de Internos (Nuasf) estarão prontos a receber os familiares e prestar informações sobre para onde os internos foram transferidos. Ontem, familiares e advogados de presos buscavam informações sobre o remanejamento. 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247