Sem Dia da Consciência Negra, Porto Alegre faz Marcha do Orgulho Crespo

Mmovimento negro realizou na última terça-feira (15), na capital gaúcha, (15) a Marcha do Orgulho Crespo, parte da semana de atividades e manifestações por todo o país contra a desigualdade racial; no início do mês, a Justiça de Porto Alegre considerou inconstitucional o feriado do próximo domingo, 20 de novembro, apesar de em várias cidades do país a data lembrar o Dia da Consciência Negra; caminhada reuniu dezenas de pessoas no Parque da Redenção, zona central da capital gaúcha,que seguiram em passeata  até o Largo Zumbi dos Palmares

Mmovimento negro realizou na última terça-feira (15), na capital gaúcha, (15) a Marcha do Orgulho Crespo, parte da semana de atividades e manifestações por todo o país contra a desigualdade racial; no início do mês, a Justiça de Porto Alegre considerou inconstitucional o feriado do próximo domingo, 20 de novembro, apesar de em várias cidades do país a data lembrar o Dia da Consciência Negra; caminhada reuniu dezenas de pessoas no Parque da Redenção, zona central da capital gaúcha,que seguiram em passeata  até o Largo Zumbi dos Palmares
Mmovimento negro realizou na última terça-feira (15), na capital gaúcha, (15) a Marcha do Orgulho Crespo, parte da semana de atividades e manifestações por todo o país contra a desigualdade racial; no início do mês, a Justiça de Porto Alegre considerou inconstitucional o feriado do próximo domingo, 20 de novembro, apesar de em várias cidades do país a data lembrar o Dia da Consciência Negra; caminhada reuniu dezenas de pessoas no Parque da Redenção, zona central da capital gaúcha,que seguiram em passeata  até o Largo Zumbi dos Palmares (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rede Brasil AtualPara debater o racismo no território gaúcho, o movimento negro realizou na última terça-feira (15), na capital gaúcha, (15) a Marcha do Orgulho Crespo, parte da semana de atividades e manifestações por todo o país contra a desigualdade racial. No início do mês, a Justiça de Porto Alegre considerou inconstitucional o feriado do próximo domingo, 20 de novembro, apesar de em várias cidades do país a data lembrar o Dia da Consciência Negra.

No Parque da Redenção, zona central da capital gaúcha, dezenas de pessoas participaram da caminhada que seguiu até o Largo Zumbi dos Palmares, onde ocorria a 26ª Semana da Consciência Negra de Porto Alegre. "A gente tá aqui para dizer que Porto Alegre também é preta. Aqui não tem só loira de cabelo liso e olho azul. A gente tá aqui e quer representatividade", diz Débora Santos, uma das organizadoras da Marcha.

A ação que levou a justiça a se posicionar contra o Dia da Consciência Negra em Porto Alegre foi movida pelo Sindicato dos Lojistas (Sindilojas) local, que alegou prever prejuízo caso ocorresse o feriado. "Falam que foi o comércio, mas eu não acredito. Não é um estado que cultua a nossa cultura. A gente construiu esse estado e mesmo assim a nossa cultura é totalmente renegada. Para mim, não foi o comércio, foi muito mais o racismo", questiona Iris Nunes, também organizadora do evento, em entrevista ao repórter Guilherme Oliveira, da TVT.

"A força de todo mundo junto faz com que iremos mais além, faz com que a menina 5 anos admire seu cabelo. Deus nos fez assim e somos bonitos desse jeito. Não precisamos nos enquadrar no padrão de novela, somos bonitos de qualquer forma", acrescenta Iris.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247