Sem Iris, PMDB fica enfraquecido em Goiânia

Aposentadoria de Iris Rezende pegou PMDB de surpresa e partido agora corre contra o tempo para lançar um candidato a prefeito de Goiânia; "Não era essa a perspectiva que tínhamos em Goiânia. Iris era nosso candidato", disse o deputado Daniel Vilela, que é presidente do partido; deputado estadual Bruno Peixoto surge como a bola da vez, apesar de ter resistências internas 

iris
iris (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - A aposentadoria política de Iris Rezende, anunciada ontem, pegou totalmente de surpresa o PMDB. O ex-governador liderava as pesquisas para a prefeito de Goiânia e todo o partido via nele a chance de ganhar o pleito ao Paço Municipal. Com Iris fora do jogo, o partido está perdido e tenta se reerguer.

Em todo esse tempo, o PMDB ficou refém do capital político de Iris e não tem outro nome na manga para a corrida eleitoral em Goiânia. O presidente do partido, deputado federal Daniel Vilela, assumiu que o PMDB corre agora para arrumar outro nome.

"Não era essa a perspectiva que tínhamos em Goiânia. Iris era nosso candidato. Precisaremos internalizar a situação, discutir com a base e aguardar alguns dias para definirmos um novo rumo”, disse Daniel ao Jornal Opção. 

O presidente metropolitano, deputado Bruno Peixoto, garante que o PMDB terá candidato a prefeito. Curiosidade é que em áudio espalhado no WhatsApp, o pai de Bruno, Sebastião Peixoto, convoca os peemedebistas para se unir em torno da candidatura do filho.

"O PMDB apresentará nos próximos dias um nome para a disputa à prefeitura. Mas as portas para o diálogo com outros partidos, inclusive para composição, manterão-se abertas. Ou seja, o partido poderá lançar um novo nome ou poderá apoiar outro. Tomaremos essa decisão em conjunto”, afirmou Bruno Peixoto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247