“Sem luta, não conseguiremos consolidar nossos avanços”, reforça deputado

O deputado Dr. Santana (PT) alertou, em pronunciamento na Assembleia Legislativa nesta quarta (18), para a importância das mobilizações sociais contra os retrocessos impostos pelo governo Michel Temer. Ele lembrou que no dia 11 de novembro começam a vigorar as mudanças na CLT e afirmou que o passo seguinte é retirar o direito à aposentadoria dos trabalhadores. Para o petista, o governo precisa ser construído a partir do diálogo com os diversos setores da sociedade, e, principalmente, com a classe trabalhadora. "E, sem luta, não conseguiremos consolidar nossos avanços"

O deputado Dr. Santana (PT) alertou, em pronunciamento na Assembleia Legislativa nesta quarta (18), para a importância das mobilizações sociais contra os retrocessos impostos pelo governo Michel Temer. Ele lembrou que no dia 11 de novembro começam a vigorar as mudanças na CLT e afirmou que o passo seguinte é retirar o direito à aposentadoria dos trabalhadores. Para o petista, o governo precisa ser construído a partir do diálogo com os diversos setores da sociedade, e, principalmente, com a classe trabalhadora. "E, sem luta, não conseguiremos consolidar nossos avanços"
O deputado Dr. Santana (PT) alertou, em pronunciamento na Assembleia Legislativa nesta quarta (18), para a importância das mobilizações sociais contra os retrocessos impostos pelo governo Michel Temer. Ele lembrou que no dia 11 de novembro começam a vigorar as mudanças na CLT e afirmou que o passo seguinte é retirar o direito à aposentadoria dos trabalhadores. Para o petista, o governo precisa ser construído a partir do diálogo com os diversos setores da sociedade, e, principalmente, com a classe trabalhadora. "E, sem luta, não conseguiremos consolidar nossos avanços" (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - O deputado Dr. Santana (PT) alertou, em pronunciamento na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (18/10), para a importância das movimentações populares na luta contra o que ele chama de "ataque aos direitos dos trabalhadores". Ele lembrou que no dia 11 de novembro começam a vigorar as mudanças na Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), aprovadas pelo governo Michel Temer.

O petista informou que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) está em campanha para contabilizar 1,5 milhão de assinaturas. O objetivo da iniciativa é protocolar uma lei de iniciativa popular no sentido de vetar o "retrocesso".

Ele lembrou que a reforma trabalhista altera a forma de contratação do trabalhador, as regras para a demissão, a jornada de trabalho e a negociação coletiva, além de restringir o acesso do trabalhador à Justiça do Trabalho.

Santana afirmou que o passo seguinte de Michel Temer é retirar o direito à aposentadoria dos trabalhadores. "Eles dizem que o mercado reage bem quando se fala em reforma trabalhista e previdenciária, e é exatamente pelo mercado que estão cortando os direitos dos trabalhadores", argumentou.

Segundo ele, o governo precisa ser construído a partir do diálogo com os diversos setores da sociedade, e, principalmente, com a classe trabalhadora. "E sem luta, não conseguiremos consolidar nossos avanços".

O parlamentar também fez referência à votação, realizada ontem no Senado Federal, para definir sobre o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG). De acordo com ele, o que se viu ali foi a "legitimação da corrupção, e o mesmo acontecerá quando a votação for para a Câmara dos Deputados".

De acordo com o parlamentar, os que votam em favor de Aécio Neves são políticos eleitos às custas da compra de votos e financiados pelo grande capital. "São eles que representam os interesses dos grandes empresários e transformaram as eleições em um comércio de compra e venda de votos", denunciou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247