Sem-Terra Fecham Rodovias em Alagoas

Como parte do Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, trabalhadores rurais fecharam diversas rodovias federais e estaduais em Alagoas; foram bloqueados trechos em Junqueiro, Teotônio Vilela, União dos Palmares, Japaratinga, Novo Lino, Flexeiras e Piranhas; algumas vias foram obstruídas nos dois sentidos enquanto outras em apenas um deles

Como parte do Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, trabalhadores rurais fecharam diversas rodovias federais e estaduais em Alagoas; foram bloqueados trechos em Junqueiro, Teotônio Vilela, União dos Palmares, Japaratinga, Novo Lino, Flexeiras e Piranhas; algumas vias foram obstruídas nos dois sentidos enquanto outras em apenas um deles
Como parte do Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, trabalhadores rurais fecharam diversas rodovias federais e estaduais em Alagoas; foram bloqueados trechos em Junqueiro, Teotônio Vilela, União dos Palmares, Japaratinga, Novo Lino, Flexeiras e Piranhas; algumas vias foram obstruídas nos dois sentidos enquanto outras em apenas um deles (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Grupos de trabalhadores do campo fecharam diversas rodovias em Alagoas nesta quarta-feira (15), como parte das manifestações pelo Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência. No Estado, foram bloqueados trechos em Junqueiro, Teotônio Vilela, União dos Palmares, Japaratinga, Novo Lino, Flexeiras e Piranhas.

De acordo com a assessoria de comunicação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o bloqueio acontece durante toda a manhã e, além de fechar as BRs, os grupos ainda estão fazendo panfletagem e dialogando com a população. Algumas vias foram obstruídas nos dois sentidos enquanto outras em apenas um deles.

O Dia Nacional de Luta Contra a Reforma da Previdência acontece em todo o País, com a participação de diversas categorias. O dia, que tem como objetivo protestar contra o atual governo, é dedicado a paralisações em setores da sociedade organizada, órgãos públicos, movimentos sociais e rurais.

Caso a Reforma da Previdência - PEC 287 seja aprovada, a idade mínima para a aposentadoria integral será de 65 anos para homens e mulheres, com pelo menos 49 anos de contribuição para trabalhadores do campo e da cidade. Professores e trabalhadores rurais perdem a condição de categorias especiais.

A pensão por morte, benefício para quem perde a esposa ou marido também deixa de ter valor integral e passa a ser de 60% e mais 10% para cada dependente. Será proibido receber pensão e aposentadoria ao mesmo tempo.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247